DO DOSADOR

* incrível a sensação boa que dá perceber, quase dois anos depois de termos escrito alguma coisa, que alguém cai de páraquedas no blog, se emociona e ainda se dá ao trabalho de nos escrever, como aqui. Daqui, do balcão imaginário do BUTECO, eu que tenho pessoas muito cridas em Portugal, mando um abraço do tamanho da Tijuca pro Luís P.;

* incrível, também, o email que recebi, no domingo à noite, de um leitor de Manaus. Conta-me o Alfredo que, na quinta-feira passada, por conta de umas compras que fez, foi dar uma geral no freezer, junto com a mulher. Eles acharam uma rabada comprada há poucas semanas e decidiram prepará-la no domingo seguinte. Foram à internet, chegaram ao BUTECO, chegaram à receita da rabada (aqui) e prepararam o prato, “que ficou uma delícia”, “ainda que tenha feito algumas alterações em termos de quantidade e tempo”, disse-me ele. Mandou-me, o Alfredo, inclusive as fotos. Gentilíssimo. Típico troço que faz valer a pena manter o blog. O Alfredo, empolgado, ainda comprou meu livro, MEU LAR É O BOTEQUIM, através de depósito bancário. Hoje mesmo o bichinho segue para Manaus, portador de um fraterno abraço meu no Alfredo, na Let, sua mulher, e nos três filhos (o mais novo, João Vinícius, aparece numa das fotos caindo dentro da rabada!);

* como eu já havia lhes contado aqui, a matéria sobre a Tijuca, para a qual demos entrevista eu e Felipinho Cereal, saiu publicada na edição deste mês de janeiro na revista CONEXÃO RIO. Ficou muito bacana. E lá estão citadas a FLORA NOVA BRASIL, a TINTURARIA MASCOTE, a QUITANDA ABRONHENSE, a PADARIA TRIGUS, a CASA D´QUEIJOS E FRIOS, o QUEIJEIRO DA MUDA, o FIGUEIREDO REI DAS CHINELAS e outros gloriosos comércios do bairro onde vivemos;

* a idade, que chega a galopes, cutuca você e grita “velho!” no seu ouvido quando você vai dar um beijo na sua afilhada, fazendo 15 anos, e as amigas dela te chamam de tio o tempo inteiro. A situação é óbvia e batida, mas aconteceu comigo, pela primeira vez, na semana passada;

* completa 60 anos, em 2009, o MONTANHA CLUBE, o clube mais legal da cidade. Dia desses, quando o tempo que tem me faltado permitir, falo sobre ele.

1 comentário

Arquivado em confissões

Uma resposta para “DO DOSADOR

  1. Ganhei um pedaço de carne seca, que uma amiga trouxe de Pernambuco. Corri pro Buteco, mas não tinha uma receita de “seca com abóbora”. Por favor, não é uma reclamação:-), que afinal esse não é um prato “assim… tão assim”. Mas se você souber de algum efeito especial…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s