PIMENTINHA

Operou ontem, mastectomia, Elis Regina of Royal Fashion, a Pimentinha pros íntimos, nossa doce cocker spaniel, na foto com um – vejam o nome disso – colar elizabetano. Atacada por um maldito câncer nas tetas e depois de avaliada por um junta médico-veterinária composta por uns 10, 12 membros (eu e Dani decidimos contratar um veterinário pra cada teta), Pimenta chegou ontem por volta do meio-dia na clínica, na Gávea.

Vamos a um breve panorama do clima do troço.

Na semana passada, Pimenta passou por uma bateria de exames. Radiografias, exame de sangue, eletrocardiograma, e a cada passo eu também me submetia, mentalmente, aos mesmos cuidados. Confesso que os veterinários estranhavam minhas reações, mas atribui tudo a gestos meio sem sentido de um pai extremado.

Anteontem à noite, véspera da cirurgia, acordei com Dani fungando algumas vezes, em prantos, pela madrugada. Pimentinha estava raspadinha, preparada para a mastectomia. Eu, Dani e Pimenta entre nós.

Rezas coletivas, Dani pôs um terço no pescoço dela fazendo papel de coleira-santa, ficamos folheando álbuns da Pimenta, e os comentários básicos: “A primeira ninhada”, “O primeiro passeio…”, “Olha! O aniversário de 3 anos!”, e nenhum de nós dormiu mais.

Chego à clínica, como disse, ao meio-dia.

A Dani – vejam a beleza das coincidências – a recebeu. Ela mesmo a operaria, com o auxílio luxuoso da Rita e do João, o anestesista. Beijei cada um deles, paguei – para garantir um tratamento vip – o triplo do que me fora cobrado (antecipadamente) e desmaiei na recepção da clínica, tendo sido atendido por um estagiário, que me pôs no soro.

Às 14h, uma hora antes da cirurgia, voei pro Tribunal de Justiça, para uma audiência. Meu rendimento foi pífio.

A Juíza, na abertura:

“O Doutor tem alguma proposta de acordo?”

“Não. Quero ela viva de qualquer maneira!”

A Magistrada olhou atônita para minha cliente que não entendia nada.

Entra a primeira testemunha, e a Juíza, pra mim:

“O Doutor tem alguma pergunta?”

“Quantos pontos ela vai levar?”

“Como?”

“Mantenho a ração ou há uma dieta especial?”

A Juíza cancelou a audiência e, parece, oficiou a OAB acusando-me de inépcia profissional.

De táxi, vôo pra clínica.

Atropelo um doberman, um labrador e dois siameses que estavam na recepção.

Invado o centro cirúrgico.

Pimenta com soro, sedada, levando os pontos.

Os três – Dani, Rita e João – se assustam e eu desmaio diante da visão do sangue.

Sou acordado com jatos d´água no rosto e um lenço de éter no nariz.

Grito:

“Pimenta!”

E ela, ainda meio grogue, salta espetacularmente da mesa de cirurgia e vem lamber meu focinho.

A Dani injeta um agulhão no meu braço e me deixa meio sem chão. Desmaio de novo.

E só acordo com a Dani (a minha), já com a Pimenta no colo trocando meus cheques por outros com o valor tratado.

Os três veterinários, Dani, Rita e João, estão ali, diante de mim, incrédulos.

Mas daqui do Buteco, rendo homenagens e ergo copos cheios à competência dos três craques que, daqui a 30 dias, passam por tudo de novo, no sistema mamário (que nome! que nome!) do lado direito.

Até.

Anúncios

7 Comentários

Arquivado em confissões

7 Respostas para “PIMENTINHA

  1. >Meu velho,Não sei se foi sua intenção deliberada ou um escorregão plenamente justificável pela emoção, mas adorei a parte em que a Pimenta foi lamber-LHE o focinho.Boa recuperação pra ela e…Beijo nos focinhos.

  2. >Celso, querido: nós, cachorrões, sabemos que não foi deslize.

  3. >Edu, fale urgente com o Branco e o Dedeco para incorporarem o chapéu elizabetano ao acervo de fantasias emergenciais para bailes organizados em cima da hora. No sábado passado, o Branco carregou para o Estephanio´s uma sacolinha com três máscaras – uma de galinha e outras duas que não me lembro. O chapéu elizabetano vai fazer o maior sucesso em fevereiro vindouro.

  4. >Chapéu, não. Colar elizabetano!

  5. >Edu, tem à venda esse colar nas cores vermelho e preto?

  6. >Eu sei como é sofrido esse negócio de de cirurgia veterinária, mas calma que ela vai melhorar. Da última vez que eu a vi ela estava muito bem, brincando e tudo mais.Fica tranquilo, meu hiperbólico autor.

  7. >Edu, só agora soube( [otimo que ja´esteja tudo sendo tratado ) da doença da Pimentinha.Mas fique tranquilo que ela vai ficar curada e tente depois algum tratamento complementar com fitoterapia e ou acupuntura como prevenção para evitar possíveis surpresas. Estamos torcendo pra que a outra cirurgia seja em breve e bem sucedida.Quantos anos a Pimentinha tem? 9 ou 10.Beijos Leonor e Edmundo e lambidas do Hércules e da Diana.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s