Arquivo da tag: Railídia Carvalho

HOJE É DIA DE RAILÍDIA

Quem me lê sabe o quanto sou grato às mulheres que me entregaram, de certa forma, suas melhores porções, minhas comadres. Pois hoje é dia de Railídia Carvalho, uma de minhas comadres, mãe da Iara, minha pequena sereia de olhos cor de jaboticaba. Hoje é dia da Rai, como é carinhosamente chamada por quem a conhece, e não há quem conheça a Railídia e que por ela não se apaixone. Hoje é dia da Rai e é, portanto, dia de eu erguer o copo cheio de espessa espuma, depois de oferecer o primeiro gole a Elegbara, em homenagem a ela.

Paraense, a Rai é a Amazônia em forma de mulher. É detentora dos segredos das matas e dos rios, dona da beleza, da brutalidade, da intensidade e da opulência do encontro das águas do Amazonas com o Atlântico. É filha de Oya, e como filha de Oya, a Rai venta – no mais literal sentido da palavra. Quem já viu a Rai cantar, como tantas vezes vi, sabe do que estou falando. A Rai é o Brasil cantando, é canto, é batuque, é reza, a Rai é capoeira, faz ventar e levantar poeira, é da umbanda, é do candomblé, a Rai é macumbeira. A Rai é bruxa, a Rai é feiticeira.

E é pra ela, e por ela, que hoje eu canto. Atravesso, hoje, os mais de 400 quilômetros que nos separam – eu no Rio, ela em São Paulo – para brindar com ela, para beber com ela, para cantar com ela, para chorar diante dela, eu – um inconrrigível… – que sempre me comovo diante de tanta boniteza.

Saravá, Railídia! Muito axé, minha comadre. E que a saúde, o amor e a fartura não lhe faltem nunca.

Até.

3 Comentários

Arquivado em gente