Arquivo da tag: Manuela Dávila

TRANSPARÊNCIA É ISSO AÍ!!!!!

Vou ser brevíssimo, que o dia hoje está daquele jeito!

Ontem à noite estive com a Dani na Lapa. Sendo mais preciso, chegamos à tarde, depois de uma belíssima manhã de domingo na praia, para almoçarmos no Cosmopolita. A nos acompanhar, o legendário Borgonovi – no curso da semana conto histórias do malandro – e Pedro Altman, ambos egressos de São Paulo.

O objetivo era assistirmos aos shows de Martinho da Vila e Beth Carvalho, no encerramento de mais um dia de atividades da Quinta Bienal da UNE. Fomos convocados – conto esse detalhe em nome da precisão – pelo Julio Vellozo, também de São Paulo, que tem, isso foi facilmente percebido, mais poderes entre a estudantada brasileira do que pastores-níquel entre fiéis dizimistas. Um troço de louco. Não havia um estudante, uma estudante, ninguém, capaz de dar um passo sem antes perguntar a ele, Julio Vellozo, que caminho tomar. Dito isso, em frente.

A certa altura o Julio faz um sinal em nossa direção, deixando evidente que quer nos apresentar uma pessoa. Chegamos pra perto.

Nesse exato instante eu já a havia reconhecido.

E disse o Julio:

– Manuela, esse é o Edu… E essa é a Dani, Manuela, mulher dele…

Pequena pausa. Nesses tempos em que achincalhar político é o troço mais fácil e corriqueiro do mundo, neguinho tem dificuldade de perceber o trigo no meio do joio.

E a Manuela Dávila, única deputada federal do PCdoB, do Rio Grande do Sul – ave, Leonel! – não é trigo apenas por ser linda, com uma cara franca, um jeito aguerrido que acabou por levá-la à Brasília. Não. Tem olhos de ver. Vejam se não.

Feita a apresentação, Manuela cochicha algo ao pé do ouvido do portentoso Julio. Julio, por sua vez, sorri. E diz em nossa direção…

– Manuela… Essa é a Dani Sorriso Maracanã… – e riu, antes de prosseguir… – Edu, Dani… ela acabou de me dizer aqui… ´que sorriso o dela!, que sorriso!´.

Minha garota é demais.

Nem a belezura dos Arcos da Lapa, aquela tremenda lua por cima, foi capaz de ofuscar seu brilho. E a moça dos pampas, ó, sacou tudo.

Até.

3 Comentários

Arquivado em gente