A SÉRIE BOTECOS DO EDU

Em 27 de junho de 2014 recebi e-mail do seguinte teor:

“Prezado Edu,

Te escrevo muito descompromissadamente; avalizado, talvez, pela falsa sensação de intimidade que os anos de leitura anônima me outorgaram.

Sou sócio da produtora Motim, sediada também no Rio de Janeiro, e queremos realizar uma série sobre o habitat lírico dos botequins.

Sempre admirei tua habilidade de cronista dos miúdos do mundo e julgo – aqui sem qualquer aval – que você pode ancorar diante das câmeras essa empreitada. O que você pensa? Quer trocar uma idéia? Crê que seja possível? Diz aí e te aguardo.

Em tempo: não planejamos a Globo e suas afluentes.

Abração.”

Era o Diogo, um dos sócios da produtora Motim – os outros dois são Bruno Laet e Pedro Nicoll.

De lá pra cá, muitas mensagens trocadas, alguns encontros e a idéia dos malucos foi ganhando corpo.

Já temos uns 10 episódios filmados e, pensando grande, os meninos da Motim organizaram um crowdfunding, que no meu tempo chamava “vaquinha” mesmo.

A idéia é que possamos e consigamos correr o Rio de Janeiro e, devagar e aos poucos, o Brasil. Sempre em busca dos melhores botequins, que é, como disse Aldir Blanc na apresentação do projeto, “templo, é cultura, meio igreja, meio biblioteca, meio bordel.”.

Pra isso, sem mais delongas, quero lhes apresentar o canal Botecos do Edu, no YouTube, aqui.

E, tão importante quanto, o site da campanha Botecos do Edu, através do qual a Motim tenta captar o dinheiro necessário pra seguir dando corpo a esse sonho que decidi sonhar junto com eles, aqui.

Espero que vocês gostem, embarquem na idéia e a façam correr o seu círculo de amigos.

Até.

Anúncios

3 Comentários

Arquivado em botequim

3 Respostas para “A SÉRIE BOTECOS DO EDU

  1. Cláudio Caldas

    Bela iniciativa…gostoso de ver… Valeu Edu! Como tijucano residente em Floripa, pude matar as saudades um pouco da região… abraços

  2. Heitor Savala

    Caro Edu,
    Sou um novo leitor de suas crônicas graças a essa série cheia de simplicidade e descobertas de um Rio de Janeiro que, como turista, jamais conheci ou imaginava conhecer. Sou um paulistano, morador da região central, local onde reconheço muitos tipos semelhantes aos seus companheiros e irmãos de Tijuca (faço questão de usar letra maiúscula para esse território).
    Parabéns pela série!
    Fico sempre no aguardo novos episódios e textos.
    Abraços

  3. Heitor Savala

    Olá novamente caro Edu,
    Não sei o que houve mas segue novamente meu comentário:
    Sou um novo leitor de suas crônicas graças à essa série cheia de uma simplicidade encantadora, de um Rio de Janeiro que, como um turista, jamais conheci ou imaginava conhecer. Sou um paulistano morador da região central, local onde reconheço muitos tipos como seus companheiros e irmãos da Tijuca.
    Parabéns a vocês pela série!
    Sempre no aguardo de novos episódios e textos.

    Abraços

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s