EVOÉ, MOMO!

Meus poucos mas fiéis leitores, é chegada a hora. Interrompo hoje, até o final do Carnaval, minhas incursões ao balcão virtual do Buteco a fim de que eu possa me entregar, de corpo e alma, à experiência sacrossanta e milagrosa do tríduo momesco. E vejam vocês, que me acompanham aqui já há algum tempo, que sigo vivendo e encarando esse permanente desafio de enfrentar as grandes datas, os grandes momentos e as grandes efemérides dotado de uma coragem que eu – é a primeira confissão que faço hoje – desconhecia possuir. Deixei o escritório ontem à noite, tarde da noite, já com o nó da gravata desfeito e com um tremendo nó que me sufoca o peito que se apertou de jeito quando atravessei, a pé, a fim de tomar a condução, a avenida Rio Branco que há de me ver no sábado, já no turbilhão da procissão da missa campal que corre aquele chão há muito fevereiros.

Quero, pois, desejar a cada um que me lê, um grande Carnaval (se você for de Carnaval, evidentemente). E que não esqueçamos nunca que o Carnaval, ao contrário do que pregam os neófitos, é uma festa que celebra a tristeza pela faceta mais bonita que a tristeza tem. É uma festa de inversão, e é preciso que tenhamos disposição e coragem (olha a coragem aí de novo!) pra esse mergulho que se inicia na madrugada do sábado pra só terminar na noite da Quarta-Feira de Cinzas. Emoção à flor da pele, sensibilidade exacerbada, sangue, suor e lágrimas riscando o chão com a pemba invisível e imaginária. A experiência, em vida, da vivência da morte. Para que renasçamos todos, renovados e dispostos aos enfrentamentos do dia-a-dia modorrento e formal, por conta do milagre que o Carnaval nos deixa ao alcance das mãos, ano após ano.

Evoé, Momo!

Até.

Anúncios

7 Comentários

Arquivado em carnaval

7 Respostas para “EVOÉ, MOMO!

  1. Ary Gurgel

    Evoé, Edu. Deixo amanhã meus afazeres – após ter liberado meus clientes para beber até cair – a fim de me juntar à massa.
    Proponho às autoridades que além de Momo, – nome feminino, filha de Nix (a noite) na mitologia grega – Edu Goldenberg seja considerado de direito, porque de fato já o é, o hebdomadário oficial do carnaval carioca.
    Explico: hebdomadário, além de jornal semanal como era o velho Pasquim, no sentido litúrgico quer dizer pessoa que numa comunidade religiosa tem a missão de presidir o ofício por uma semana.
    Como o carnaval une o sagrado ao profano, creio que meu apelo terá eco na prefeitura do Rio.
    Bom carnaval a todos e especialmente a você, Presidente.

  2. zé sergio

    Embaixadores da Folia e Bola? Hein? Hein?

  3. ricardo dias

    Crônica cheia de simbologismos e esperança em um novo amanhã…

  4. Israel Vieira

    Grande carnaval pra você também, Eduardo. Abraços, Israel Vieira.

  5. Juliano

    Mais um belo texto, Edu. Que venha o carnaval!
    Te vejo no Império, na justa homenagem à dama do samba.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s