>MAIS SOBRE LUCIANA FRÓES

>

Anteontem publiquei O ANTI-BRASIL, NO JORNAL O GLOBO. No texto, expus um filminho feito e exibido pela “gastromaníaca” Luciana Fróes – o adjetivo dado por ela mesmo – gravado no restaurante LAGUIOLE, aqui no Rio. A crítica gastronômica exibe, ali, orgulhosa e deslumbrada, uma “chámmelier” – vejam aqui. Vai ao delírio com ampulhetas, pinças, tesouras, acha aquilo tudo o máximo e ajuda, assim, o jornalão em sua missão perniciosa em busca da destruição das coisas mais simples. Volto hoje à dita senhora.
A horripilante revista RIOSHOW, que vem encartada às sextas-feiras no jornal, traz matéria de sua autoria intitulada É COISA NOSSA. Vocês leiam a matéria abaixo e me digam se esses troços exaltados pela anti-carioca são coisas nossas. Vamos à análise da coisa, eis que sou preciso do início ao fim – coisa que incomoda sobremaneira a meus detratores.
Primeiro equívoco? No primeiro parágrafo, na primeira frase:
“Embalada pelo clima de amor à cidade que toma conta dos cariocas (…).”
Só mesmo uma anti-carioca que não conhece a cidade em que vive pode dizer uma atrocidade dessas. Perguntem a Luiz Antonio Simas, carioca máximo, se ele está embalado pelo amor à cidade (e a lastimável colunista só pode estar fazendo referência à invasão, pela polícia, do Complexo do Alemão) ou se ele a ama desde antes de nascer. Façam a mesma pergunta a Felipe Quintans, a Leonardo Boechat, a Marcos Handofsky, a Fernando Szegeri, a Bruno Ribeiro, a Arthur Tirone, estes três últimos moradores do Estado de São Paulo e mais cariocas que 99,99% dos leitores da revista que não se presta nem para servir de privada pro meu vira-latas. Mas vamos em frente. Pode ser – vocês devem estar pensando – implicância minha.
O que vocês acham da exaltação aos “biscoitos de polvilho à la Globo, que magistralmente o chef carrioca Claude Troisgros costumizou (com curry) e transformou numa das atrações do couvert de seu Olympe”? Deixando de lado o erro grotesco da jornalista – o certo é customizar e não “costumizar” – qual é o carioca que deixa de comer o biscoito original, fabricado na Rua do Resende, e vendido a R$ 0,50 (cinqüenta centavos) em qualquer loja honesta da cidade (não nas praias, onde custa R$ 3,00) para comer esse biscoito com curry criado pelo “chef carrioca” e que deve custar os olhos da cara? Tem mais.
Que tal a dica do picadinho a R$ 70,00 (setenta reais) (!!!!!)????? Picadinho eu como em qualquer buteco honesto por não mais do que R$ 10,00 (dez reais) – e estou jogando o preço bem pra cima. E sem essa porra de “terroir”!!!!! – vão tomando nota das expressões internacionais usadas pela referida senhora.
E a indicação da capirinha de lima-da-pérsia, “invenção de Chico Mascarenhas, restaurateur (…)”? O GUIMAS ainda foi elevado à categoria de “bistrô franco-carioca”. Ela pergunta:
“Conhece igual?”
Conheço, Luciana Fróes. Conheço muitos. E muito melhores! E pela metade do preço, diga-se.
Ocorre que o mais nojento, o mais revoltante, o mais abjeto da abjeta matéria, está por vir.
Demonstrando com isso o quanto O GLOBO não enxerga a cidade do Rio de Janeiro senão como uma ilhota chamada zona sul, o quanto o jornalão odeia (e não conhece) a cidade e seus habitantes de outras regiões que não as consideradas nobres pela autora da matéria, ela diz que “vale a viagem até Vicente de Carvalho” para comer o bolinho de bacalhau da ADEGA D´OURO que ela só deve conhecer por conta de expedições de vans organizadas por… … … isso-deixa-para-lá.
Isso mesmo. Ela recomenda uma VIAGEM até Vicente de Carvalho. Distante pouco mais de 15km de onde moro.
Um nojo. Um nojo absoluto!
A matéria está aí, na íntegra.    

Até.

16 Comentários

Arquivado em Uncategorized

16 Respostas para “>MAIS SOBRE LUCIANA FRÓES

  1. >Fala Edu.Gente como a moça tem sempre um olhar antopologico sobre o suburbio. Acha tudo muito engraçado e vai até lá como alguém que visita um zoológico. Saudade de cronistas de verdade, que tinham pé no chão e conhecimento de vida. Qualquer vida. Bem, de O Globo não padeço mais.Grande abraço

  2. >Pagar pau pra um chammelier passa muitos quilômetros além do absurdo. Saudades do Bob Cuspe mandando uma na cara do mané carregando a coleção de ampulhetas vindas de Paris…Abraço e siga vivendo como uma pessoa de verdade.

  3. >não sobra uma seção decente, uma editoria, uma porcaria lá que não seja globostejada. pra mim deu há tempos.

  4. >Esse povo global se comporta como os antigos barões da borracha, que moravam em Manaus e costumavam mandar as roupas para lavar em Paris. A única referência que a posteridade fará a essa dona é ter sido citada por você. A relação dela com o Rio de Janeiro é a mesma que eu tenho com Plutão, o ex-planeta.Eu parei de ler o jornalão desde o período eleitoral e posso te garantir: o jornalismo desse povo é questão de saúde pública. Não ler a "grande imprensa" hoje, por paradoxal que pareça, é uma ótima maneira de ficar bem informado.Saravá sua banda, meu velho.

  5. >Mas, se me permites, eu acho que tu das muito ibope pra esse povo.Eu gosto quando tu publicas um videozaco daqueles cantando Aldir com Sao Sebastiao te ollhando, quando tu recordas a verdadeira perspectiva do Mario Filho, ou quando mostras receitas feitas com os Zamprone e o sorrisao da Sonia.Foda-se esse povo que nao merece nossa atencao, Edu.Eles sao, sim, cariocas como nos. Mas sao apenas diferentes. E a indiferenca, nesse caso, eh o melhor remedio.Forte abraco,R.Pian

  6. >Concordo em parte, Pian. É preciso que haja alguém disposto a apontar o indicador no focinho da escumalha que produz o lixo que é o jornal O GLOBO. Até para que se faça o registro do contraponto. Da crítica. Comprovando por "a" mais "b" o quão nocivo é o que eles fazem. Um abraço.

  7. jb

    >edu,tive o desprazer de ler o artigo da pseudo-jornalista, onde ela abusa de erros ortográficos e preconceito.e fico feliz que tenha espaços como o seu que desmascaram esse tipo de desserviço.graças a figuras como você, antigas autoridades se transformam em patéticos dinossauros.parabéns pela coragem da denúncia e pela incrível precisão nas palavras!abração!

  8. >O Eduardo tem razão, alguém precisa acompanhar esse trabalho sujo. Contanto que não seja eu! E olhe que acompanho até razoavelmente o online: embora vá pouquíssimo lá, toda vez que vou acho globostejada. Sinto asco. Por isso fiquei tão impressionada com a discrição do Extra no Twitter na crise do Alemão.

  9. >Eu vou defender o segundo caderno de O Globo, tirando é claro os cronistas da última página dos quais só se salvam o Dapieve e o Arnaldo Bloch.Há alguns meses, adentraram novos colunistas na página 2 (Francisco Bosco, Hermano Vianna, Wisnick etc), as matérias de artes plásticas estão ótimas, enfim, deu uma melhorada muito grande desde que o Xexéu saiu da editoria.Mas realmente, o resto do jornal está cada vez mais difícil de ler. Da editoria de política, por exemplo, mantenho distância.

  10. >Colocou a senhora no bolso!Detalhe para a "requintada" citação a Dori Caymmy, logo no início. Para não dizer irônica.

  11. >Mexeram no biscoito Globo? Meu Deus, que heresia! O biscoito é cláusula pétrea do patrimônio gastronômico da cidade.Vade retro!!!!!!!!!

  12. >Morro de rir com rico falando. A minha falecida sogra Madalena, foi cozinheira por mais de trinta anos da da casa da Priscila Guimarães e Ricardo Guimarães donos do GUIMAS e na verdade eles comiam e se lambuzavam mesmo eram com os quitutes que minha velhinha peparava, o feijão carregado, a carne assada com cenoura dentro e outras coisitas básicas. Nada do restaurante vinha pra casa. Para de palhaçada gente , todo mundo se conhece no Rio de Janeiro.

  13. >Ah! Denunciar estes devaneios é serviço público adorável vaselina, não queiras nos privar do único canal que temos para desmantelar essa papagaiada que se estabeleceu no nosso Rio de Janeiro, é militância amigo, totalmente a favor da nossa cidade. Abração!

  14. >Edu tu ainda compra Jonal O Globo?? Eu nem perco meu dinheirinho com ele, só leio Extra. Bjs!

  15. >Sempre concordei que a patrulha eh importante, Monica.Soh acho q devemos ser mais tolerantes. Senao acabamos iguais aos que nohs criticamos.R.Pian

  16. >Aguardando um post caprichado para o Fluminense – com algumas frases antológicas de Nelson Rodrigues!!!Uma coletânea sensacional aqui:http://www.torcidatricolor.com.br/phorum/read.php?2,6138Saudações TRICOLORES!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s