RALI DE CARNE DE PORCO

Conforme eu lhes contei na semana passada, houve, no sábado, na mansão dos Zampronha, um rali de carne de porco. Depois do rali de cordeiro realizado no mês de abril (vejam aqui), decidimos que faríamos outro, em maio (e foi no sábado!), dessa vez com carne suína. O banquete, que vem ganhando proporções bíblicas a cada encontro, começou a ser preparado na quinta-feira quando estive no mercado com uma das anfitriãs, minha doce e amada Sonia. Na sexta-feira à noite lá estava eu, na portentosa mansão no Alto da Boa Vista, ajudando no preparo do almoço.

Temperamos o lombo, a picanha, as costelinhas e o pernil de aproximadamente 7kg (foto abaixo).

pernil de porco
Como fizemos muita coisa, não vou fazer como fiz quando publiquei o rali de cordeiro, passando receita por receita, mas dividirei com vocês o preparo e os resultados. Dentro do lombo, imenso, injetamos 750ml de vinho branco seco, furamos o bicho todo, introduzimos dentes de alho em diversos pontos e cobrimos a criança com uma quantidade colossal de cebola picada. Uma vez coberto com papel laminado, tomou o rumo da geladeira. As costelinhas (foto abaixo) foram regadas com suco de limão, um pouco de sal grosso moído na hora e pimenta-biquinho. Igualmente coberta, foi fazer companhia para o pernil. Optamos por comprar o lombo e a picanha já temperados, razão pela qual ficaram na geladeira dentro da própria embalagem.
costelinha de porco
No dia seguinte, pela manhã, passei na feira pra comprar alecrim fresco, ingrediente do risotto de limão siciliano. O forno foi ligado às 10h e o pernil, ainda coberto com o laminado depois de devidamente regado com o suco que brotou no tabuleiro, começou a ser preparado. Já estávamos munidos das bebidas (é preciso cozinhar, sempre, na companhia de um bom uísque) e depois de duas horas retiramos o pernil do forno, o papel laminado e cobrimos todo ele com tiras de bacon (foto abaixo).

Voltou pro forno? Mãos à obra.

pernil de porco com bacon
Enquanto isso, sempre com o auxílio luxuoso da , dona do segundo sorriso mais bonito do mundo – vejam aqui – e da Marcela Zampronha (que ao lado do irmão, André Zampronha, compõe o núcleo duro da mansão), começamos a preparar o que de comer antes do almoço: salames de tudo o quanto é tipo, presunto cru, lombo canadense, salsichas de carne suína defumadas. Seríamos, como sempre, dez os presentes (doze, dessa vez, eis que surpreendentemente duas sumidades apareceram de última hora). Como somos oito com cadeira permanente (em ordem alfabética para não ferir suscetibilidades… André Zampronha, Betinha, Dani, eu, Flavinho, Marcela Zampronha, Marcelo e Sonia) a cada almoço, após intensa votação decorrente de lista tríplice indicada pelo núcleo duro, saem dois nomes como convidados, e dessa vez os agraciados foram Magali Pureza e Ricardo Amorim. As sumidades? Fernando Szegeri, o homem da barba amazônica, e minha doce Stê.

Por volta das três e meia da tarde, entraram no forno o lombo e a picanha (foto abaixo).

lombo e picanha suína

Durante todo o tempo o pernil foi sendo checado. Regado com o sumo incrivelmente cheiroso que escorria da carne. E tome cerveja, e tome uísque, e tome espumante, e se na nossa cozinha comida não dança e nem canta, tínhamos todos a certeza da graça daquele momento, daquela congregação que já é, definitivamente, parte do calendário oficial da vida de todos nós.

Exatamente às seis da tarde o pernil foi considerado pronto, assim como o lombo e a picanha. Bonito pacas (foto abaixo), era a hora de começar a preparar o risotto.

pernil de porco
Para o risotto, a praça já estava armada pelas mãos da e da Sonia. Cabia a mim executar a receita. Um quilo de arroz arborio, um tablete de manteiga sem sal, azeite, uma pasta feita no processador com salsão e cebola, quase cinco litros de caldo de legumes, a raspa da casca de cinco limões sicilianos, um punhado de alecrim cortado em pedaços pequenos e uma mistura do suco dos limões com o creme de leite, o queijo parmesão ralado e cinco gemas (foto abaixo).
risotto de limão siciliano
Preparar o risotto nos tomou mais ou menos meia-hora. Foi dado o sinal e armada a mesa, típica dos mais fartos banquetes. Na foto abaixo vê-se a farofa preparada com pancetta, o lombo, a picanha, a panela de risotto e o pernil, destaque absoluto entre as carnes, ao lado do risotto que foi considerado monumental por todos os presentes.
rali de carne de porco
Saborosissímo, acompanhamento perfeito para as carnes do almoço, provocou “ohs” e “ahs” entre os doze presentes à mansão dos Zampronha que, sem sombra de dúvida, foi palco de mais uma tarde inesquecível.

Já estamos pensando no próximo rali. Eu, humílimo e generoso, vou dividir com vocês todos os prazeres que costuram esses encontros.

risotto de limão siciliano
Até.
Anúncios

2 Comentários

Arquivado em comida

2 Respostas para “RALI DE CARNE DE PORCO

  1. >Eu poderia comer aquelas costelas com risoto todos os dias da minha vida. E o Felipe também! :)Beijos!

  2. >Nossa!!! Banquete dos deuses!!!Parabéns!!!Indira

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s