>DO DOSADOR

>

* Roberto Chalita, morador da cidade de Vinhedo, no interior de São Paulo, é o maior plagiador da história da internet brasileira, só pra lembrar. Leia todo o imbróglio aqui, aqui, aqui, aqui e aqui;

* o assunto Roberto Chalita atropelou o Carnaval e acabou que não dividi com vocês, meus poucos mas fiéis leitores, algumas impressões sobre o tríduo momesco, o que passo a fazer agora;

* o BOLA PRETA, que reuniu mais de um milhão e meio de foliões espalhados pelas ruas do Centro do Rio de Janeiro no sábado pela manhã, continua sendo o maior fenômeno da maior festa popular do planeta;

* agradeço a inspiração dos céus que me fez não ir ao festejado e querido-da-mídia CORDÃO DO BOITATÁ. Bloco (ou cordão) de carnaval, ainda mais no Rio de Janeiro, que toca Bob Marley, franca e sinceramente… isso deixa para lá;

* amigos que foram ao BOI TOLO, salubérrima dissidência do outro boi, o TATÁ – o festejado e querido da mídia – disseram que ali, sim, viveu-se o Carnaval em estado bruto;

* assisti a todos os desfiles das Escolas de Samba do Grupo Especial. E fiquei – confesso – felicíssimo com o título da UNIDOS DA TIJUCA. Como disse poeticamente meu irmão Fernando Szegeri, segundos após o anúncio do resultado, o campeonato saiu do morro do Salgueiro, pegou uma contramão na Bom Pastor, desceu a General Roca, desagüou na Conde de Bonfim, tomou a direção da Usina, passou pela Muda e dobrou a direita na rua Underberg para depois deitar-se nos braços do Borel. E salve a Tijuca, capital do samba;

* divertidíssimo – talvez a grande pedida desse 2010 – o baile de fantasias no TRAPICHE GAMBOA. Eu, que não sabia da existência de concurso algum, acabei voltando pra casa com um troféu gigantesco depois de conquistar, na pele de Vilma Flinstones, o primeiro lugar! Graças – diga-se – ao voto popular. Bom, também, foi fazer campanha política em pleno Carnaval. Quando fui receber o troféu das mãos de Alfredo Del Penho, pedi a palavra e disse: “Eu não sou a Vilma Flinstones. Sou a Vilma Roussef”. Fui – juro! – ovacionado;

* fui tomar café da manhã, ontem, na rua de Luiz Antonio Simas, na doceria SANTA RITA DE CÁSSIA. Ao meu lado, numa das mesas, um casal de velhinhos. Ele, todo solícito:

– Quer pão na chapa, Lita?

– Quero, meu bem.

– Manteiga? Geléia?

– Quero, meu amor.

– Quer chá, Lita?

– Chalita?! Deus me livre!

Até.

7 Comentários

Arquivado em Uncategorized

7 Respostas para “>DO DOSADOR

  1. >Evoé Edu!!Vi a Vilma Flinstones (ou Roussef) no sábado de carnaval.Estava com o B.C.Perereca Imperial na Almte.Barroso entre 13 de Maio e Rio Branco quando um amigo meu falou pra todos no bloco: "olha que figura de cabelo laranja!!".Abraços!

  2. >Tem fotinho da Vilma?

  3. >Marcelo: meus detratores – e alguns poucos amigos – devem ter. E eu lá saio no BOLA PRETA, ou mesmo vou a algum baile de Carnaval… – portando uma câmera fotográfica? Um abraço.

  4. >Oi Edu,Estamos com os meus botões etílicos e pensei se vocês todos, que foram plagiados, mandar essa história para o Comunique-se (www.comunique-se.com.br), que é um portal muito usado por jornalistas. Esse cara tem que ter o filme queimado e acho que lá cabe uma matéria do tipo: jornalista é acusado de plágio, algo dessa natureza. Não se esqueça de falar do jornal em que ele publicava os posts. Creio que esse tem lá suas responsabilidades também.Se quiser, o contato de lá é Redação:jornalismo@comunique-se.com.br . Eles estão postando matéria direto.Ah, soube que você citou o Tulipa Furada no seu blog, num post sobre o plagiador. Obrigada pelo carinho e qualquer coisa, disponha.

  5. >ah, tinha me esquecido, o plagiador não é jornalista, como você colocou antes (de manhã, sou devagar). Porém, vale mandar pro comunique-se, pois ele escrevia para um jornal.

  6. >Fotos, fotos! Queremos fotos da Vilma!Beijo.

  7. >Ah, meu querido, se você não vai a bailes com câmera, sinto muito. Tens o dever de conseguir esse registro para brindar seus fiéis leitores. Já me dobrei de rir só de pensar na sua figura de Vilma e também me alegrei imensamente com suas palavras ao receber o troféu no Trapiche. E pau no Chalita (não pense que descartei a hipótese da coça). Bjs.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s