A VILA NA 28 DE SETEMBRO

Nenhum de nós, ali, bebeu com Nöel ou foi com ele ao bordel. Mas tínhamos todos a intenção, lúdica, imaginária e efetiva de estarmos próximos do poeta da Vila, da energia da VILA ISABEL, que promete fazer baixar o malandro na avenida no desfile de 2010. E ele baixou, meus poucos mas fiéis leitores, já no ensaio de quarta-feira passada na 28 de Setembro, coração do bairro. Encontrei-me com Luiz Antonio Simas, sua Candinha e Claudio Renato, diplomado naquelas pedras das calçadas musicais, morador da Praça Sete, por volta das 20h, no PETISCO DA VILA, na esquina da 28 com a Visconde de Abaeté, a fim de preparamos o músculo do lado esquerdo do peito pra pedrada que – sabíamos – estava por vir.

Luiz Antonio Simas, Candinha e Claudio Renato, PETISCO DA VILA, 27 de janeiro de 2010

Ficamos ali coisa de – o quê? – uma hora, uma hora e meia, até que a bateria começou a fazer barulho, sabem como?, aperta o couro daqui, afina a cuíca dali, esquenta os tamborins, que foi quando pedimos a conta e partimos pra avenida.

Encontrei uma porção de amigos, encontrei minha comadre, encontrei com a rapaziada do morro dos Macacos, do Pau da Bandeira, com a rapaziada que durante anos foi responsável pelo suingue do SEGURA PRA NÃO CAIR, bloco que mantive por 5 anos, entre 2001 e 2005, ali pertinho, na Vila mesmo, limite com a Tijuca.

Quando Tinga, puxador oficial da escola, começou a cantar “Tão bonita a nossa escola, é tão bom cantarolar…”, foi difícil segurar a emoção. Quando a bateria, sob o comando do mestre Átila, entrou pra acompanhar o povo, foi ainda mais difícil. E foi impossível, meus poucos mas fiéis leitores, segurar o choro e a emoção quando milhares de vozes louvaram Nöel Rosa com o samba monumental de autoria do Martinho da Vila pro Carnaval de 2010.

Eu vi a Candinha chorando, eu vi o Simas com lágrimas nos olhos, eu vi o Claudio Renato indo chorar sozinho, na esquina mais próxima. E vi – e filmei! – o que eu havia lhes contado aqui que eu veria… “(…) os apartamentos dos prédios ficam todos acesos com gente na janela, bandeiras azuis e brancas tremulando nas mãos dos moradores orgulhosos e a energia da nossa Vila Isabel mexe com o coração do mais frio dos homens.”.

Sou da Vila não tem jeito, comigo eu quero respeito que o meu negócio é sambar!

Com vocês, quatro vídeos feitos durante o furdunço, com destaque pro último, onde aparece um senhor, cabelos brancos, copo de cerveja no parapeito da janela, fazendo tremer dois pequenos pavilhões dessa gigantesca escola de samba!

Até.

9 Comentários

Arquivado em carnaval, gente

9 Respostas para “A VILA NA 28 DE SETEMBRO

  1. >Minha irmão morou um tempo na Visconde e, infalivelmente, eu e meu cunhado – que já está nos braços de Noel (ô saudade!)- bebíamos o Petisco toda vez que eu ia visitá-los. O interessante é que,em alguns ensaios da Vila, eu me programava para dormir na casa dela e nunca consegui esse feito!O clima era tão bom que,sempre quando o dia amanhecia, estávamos nós, remanescentes,em algum dos (ótimos!) butecos da área, comemorando mais um dia.A Vila é a Vila! Salve Noel! Salve Martinho!

  2. >É a bateria do Império Serrano?Juro que há, ao menos, uma intenção… Inegavelmente, muito boa. (Nem parece aquela embolada do Mug que desfilou em 2009).

  3. >Edu,Chorei, chorei…Mas você não viu, não…Rapazes, eu entendo: deve ser muito dificil perder o mestre Átila num momento tão delicado…Mas o Império Serrano vai superar isso!E todos poderemos juntos chorar de alegria!Crenato, de Casemiro de Abreu

  4. >Edu, fantástico!!!Como fantástico também foi ontem o Nem Muda, não foi?, onde fiz a minha estréa com a camisa do Simas.E tudo sem pitboys descamisados e com muitos barrigudos, famílias, e moradores orgulhosos nas janelas… Com a sua licença, xará (e bebemos bem ontem, hein!), tal qual um puxador de samba, permita-me dizer: "Obrigado, Tijuca!".Abs.

  5. >Por isso, Edu, que decidimos – eu e Simas: bloco, esse ano, só na zona norte! Abração, grande tarde a de ontem. Beijo na Renata Pittbull!

  6. >Ih, rapaz, a bateria do Império está ainda melhor – e não tem erro. (Não é no ritmo que devemos lamentar). O Império não precisa de mestre. Ainda bem que o Átila foi fazer um dinheiro na Vila… O que me impressiona, de verdade, é o surdo-de-terceira: podiam ao menos fingir um pouco de Vila…

  7. >Mesmo se demorar um dia atravessando a Marquês de Sapucaí e perder todos os pontos possíveis, a Vila já é a campeã do carnaval.Pura emoção !!!

  8. >Casé, prazer!Olha, bem disse o Eduardo Carvalho, leitor assíduo deste blog e autor de outro maravilhoso, o "Samba, boemia e vagabundos":A Vila já é a emoção do carnaval. Não importa se ela chegue em primeiro, em segundo…Não importa a colocação.É Martinho, é Noel, é Vila Isabel.E o próprio Goldenberg nos disse, pessoalmente, no Petisco da Vila: "Todo o carioca de verdade, este ano, está torcendo para a Vila Isabel ser campeã."Abraço!

  9. >Claudio Renato, o prazer é todo meu.É Martinho, é Noel, é Rio de Janeiro e é a Vila Isabel.Será difícil segurar a emoção. E nem Vila eu sou.Abraço!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s