>HÁ 4 ANOS… O PLÁGIO

>

Há exatos 4 anos – o troço deu-se em 19 de março de 2005 – Ana Cristina Reis publicou no desprezível caderno ELA, publicado aos sábados no jornal O GLOBO, uma matéria intitulada BISTRÔS PARISIENSES que é, a bem da verdade, plágio escancarado de uma matéria idêntica publicada no NEW YORK TIMES.

Ouço daqui a voz do leitor:

– Mas você lê o NYT, Edu? Vende na Tijuca?!

E eu respondo, falando sozinho com o monitor à minha frente:

– Vender, vende. Uma banca na Praça Saens Peña e uma outra na esquina da rua do Matoso com a Doutor Satamini seguramente vendem. Mas eu não o leio.

Meu dileto amigo Luiz Carlos Fraga foi quem me bateu o telefone na manhã de uma sexta-feira para me contar o escândalo. Ouvi sua história, recebi por email a inequívoca prova da vergonhosa conduta da colunista e publiquei no BUTECO, em 30 de junho de 2006, ACR E UM PLÁGIO, leiam aqui.

Quero lhes dizer que entre a notícia que recebi do Fraga e a publicação (a denúncia, na verdade) do texto no BUTECO passaram-se mais de trinta dias, e sabem por que? Tentei, diversas vezes, obter qualquer resposta de Ana Critina Reis. Tentei obter qualquer resposta do ombudsman do jornal. Escrevi pra um, escrevi pra outro, mandava os emails (não foram muito, é verdade, eis que me falta tempo e alguma paciência) sempre com os destinatários em cópia aberta e não obtive qualquer resposta ou satisfação (seria o mínimo).

Minto.

Uma pessoa me respondeu lamentando muito a história toda: Cora Rónai.

De lá pra, pouca coisa mudou.

Quando apontei o flagrante (vocês lerão), referi-me a Ana Cristina Reis como “a solteirona pernóstica”. Hoje ela é casada.

Nada mais mudou. Nada.

A matéria-plágio foi publicada em 19 de março de 2005 enquanto a original, do NEW YORK TIMES, o foi em 13 de março de 2005, seis dias antes, por Mark Bittman, intitulada DOES THE AFFORDABLE PARIS BISTRO STILL EXIST? OUI..

Leiam a matéria aqui.

Quatro anos depois – parabéns, Ana Cristina Reis!!!!! – quem sabe alguém consegue explicar o que foi que houve nesse episódio?!

Até.

3 Comentários

Arquivado em Uncategorized

3 Respostas para “>HÁ 4 ANOS… O PLÁGIO

  1. >Certa edição do Ela, e SRª ACR publicou uma matéria sobre shibari, a técnica japonesa de nós para sessôes de dominação, geralmente aplicados em corpos femininos. Achei aquilo nauseante e de uma estupidez atroz: afinal, qual é o tipo de mulher que se deixa ficar tão poderosamente amarrada que não possa romper a imobilidade do seu corpo? Tentei mostrar para a autora a insanidade do ato grotesco e violento de amarrar outra pessoa – uma mulher – num país onde tantas são espancadas contínuamente. Uma pena o que fizeram com o caderno Ela. Eu curtia na época da Hildegard.

  2. >A imprensa brasileira é muito pautada pela internacional, de forma que as “traduções” são bem comuns. Sardenberg copia a inglesa The Economist sempre. Essa matérias sobre aquela Conferência da ONU sobre drogas tem várias traduções da mesma revista.Dificilmente tem tradução integral, configurando mais “notícia de segunda mão” do que “plágio”. O caso dessa ana naoseioquê parece mais grave.

  3. >Edu,Acho que já comentei contigo da extrema semelhança entre um livro dessa moça – Meu Reino Por Um Cashmere – e um de uma americana (igualmente blargh) chamado ‘Wear More Cashmere’…Nenhum dos dois presta, mas acho que aquele que foi copiado consegue ser ainda pior – formal e materialmente!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s