RUA JAPERI, RIO COMPRIDO

E ninguém acertou o primeiro desafio da série ONDE FICA????? (vejam aqui).

A agradabilíssima rua Japeri fica no Rio Comprido (pertinho da Tijuca, ao lado da Tijuca, praticamente na Tijuca, fica na Tijuca, pô!!!!!), começando na Barão de Itapagipe e terminando na Sampaio Viana. Tem de um lado a Salvador de Mendonça e, do outro, a Barão de Sertório.

rua Japeri, Rio Comprido

Até.

Anúncios

4 Comentários

Arquivado em Uncategorized

4 Respostas para “RUA JAPERI, RIO COMPRIDO

  1. Do lado da minha casa. Me parecia particular esta rua. Belo local para se morar, esta rua é muito agradável. Antigamente a feira que fica hoje na minha rua era na Japeri, mas um general que mora nela tinha as barracas de peixe debaixo da janela, e então resolveu dar um jeitinho para mudar a feira de local. Azar o dele, adoro a feira livre da minha rua.

  2. Pois é, caboclo, ao lado da sua casa! E trata-se mesmo de uma grande rua, grande rua! Arborizada, um belíssimo casario, prédios com poucos andares…E por coincidência, no dia em que fiz a foto, comprei filés de viola pro jantar justamente na feira da Barão.Gostei de ver, bem em frente à portaria do seu prédio, uma barraca enorme de produtos da Natura!Salve!

  3. Caro Eduardo: vim conferir seu blog por sugestão do Homero, do Mitsuba, onde bato ponto com a família todo sábado. Gostei muito do que li, mas fiquei particularmente comovido com esse post, e já explico porquê. Meu avô materno, Robert Levinspuhl, judeu francês que aportou no Rio nos anos 20 e não mais saiu, construiu na década de 30 um prédio de dois andares, cada qual com dois apartamentos, no número 70 daquela rua. Lá minha mãe, meus tios e tias nasceram, e lá eu vivi desde que nasci (em 1960, inicialmente no apartamento 4, nos fundos do segundo andar, logo depois no 1, primeiro andar, de frente), até casar em 1986. Mamãe morou lá até falecer, em 1999. Não foi sem certa tristeza que me desfiz daquele apartamento com tantas histórias. Crescer na Japeri foi um pouco como ser criado numa cidadezinha do interior, onde as famílias se conheciam e a criançada brincava na rua despreocupada. Depois de um interregno no Maracanã (quase Tijuca, na Jaceguai), voltei pro coração da Tijuca em 2004, e começo a achar que só saio daqui na horizontal. Enfim, obrigado pelas lembranças e qualquer hora volto a dar palpite. Abraço, Kenneth Camargo P.S. pro Felipinho: a feira sempre foi na Barão de Sertório. Ela mudou um tempo pra Japeri, depois pra Salvador de Mendonça, por conta das obras do Metrô, se não me engano. Ao ir pra Barão de novo ela voltou ao local de origem…

  4. Ken: seja bem chegado, camarada! Ontem mesmo, sexta-feira, estive com o Homero no glorioso Mitsuba. Sinta-se à vontade pra sempre palpitar por aqui, o balcão é seu. Salve a Tijuca e aceite meu fraterno abraço.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s