BARES E RESTAURANTES – A EXPOSIÇÃO

No comecinho de julho recebi, por email, convite da ELS2 COMUNICAÇÃO para fazer a curadoria (quase desisti na hora!) de uma exposição no SHOPPING NOVA AMÉRICA sobre bares e restaurantes. A idéia era escolher 15 (acabaram sendo 13) estabelecimentos (entre bares e restaurantes). E sobre cada um deles, escrever um pequeno texto e fazer umas fotografias bem bacanas. A ELS2 me deixou inteiramente à vontade e me permitiu trazer ao Rio minha fotógrafa preferida, Marina Furtado Couto, a , sobre quem falarei em brevíssimo, já com sua devida autorização!

Em ordem alfabética, os 13 bares que estarão lá (5 na Tijuca!!!!!):

ADEGA PORTUGÁLIA (Largo do Machado 30, loja A, Catete), AFONSO PENA (mais conhecido como BAR DO CHICO) (rua Afonso Pena 128, Tijuca), AMENDOEIRA (rua Conde de Azambuja 881, Maria da Graça), ARMAZÉM SENADO (rua do Senado 20, Centro), BAR BRASIL (avenida Mem de Sá 90, Lapa), BAR DO PAVÃO (rua Dr. Otávio Kelly 53, Tijuca), BAR LUIZ (rua da Carioca 39, Centro), BAR URCA (rua Cândido Gafrèe 205, Urca), BODE CHEIROSO (rua General Canabarro 218, Maracanã), BOTECO CASUAL (rua do Ouvidor 33, Centro), PALADINO (rua Uruguaiana 224/226, Centro), SALETE (rua Afonso Pena 189, Tijuca) e VARNHAGEN (praça Varnhagen 14-A, Tijuca).

Foi muito bacana poder lançar luzes sobre bares que jamais foram alçados à categoria de representativos dentro do imenso universo de butecos cariocas: o BAR DO CHICO, o BAR DO PAVÃO e o BODE CHEIROSO (este principalmente!) são exemplos disso.

A Marina, uma craque com a câmera nas mãos, um grande papo e uma grande companhia (foram incríveis os dois dias que passamos rodando a cidade em busca dos bares), incansável parceira que entendeu no primeiro minuto o espírito da coisa, teve de voltar ao Rio, há umas semanas, para refazer algumas fotografias a pedido da administração do shopping (qualquer dia desses falo sobre o assunto). O trabalho final é fabuloso, e mais fabuloso ainda é o material que tenho guardado. Milhares de fotografias, milhares!!!!!, uma mais bacana que a outra!

Eis aí o texto de abertura da exposição:

“O verso “eu não resisto aos botequins mais vagabundos”, escrito por Aldir Blanc para melodia de Moacyr Luz, diz muito sobre o carioca e sua relação com essa instituição que é o bar e o botequim.

O termo “vagabundo” não joga contra e nem denigre o estabelecimento — ao contrário! É vagabundo o bar que é despretensioso, informal, que acolhe a todos sem distinção, que permite uma intimidade e uma relação quase humana entre freguês e estabelecimento, firmando-se como um autêntico microcosmo da cidade do Rio de Janeiro, a mais informal do país.

A exposição “Bares e Restaurantes — uma história no Rio” traz fotografias escolhidas dentre as mais de três mil que foram feitas em treze bares e restaurantes cariocas, fruto de uma seleção difícil e sujeita a todo tipo de protesto, o que torna ainda mais saudável e autêntica nossa proposta (botequim sem polêmica é letra morta!).

Se me perguntarem se houve um critério para a seleção desses treze estabelecimentos, direi que houve um, apenas um, mais que subjetivo: estão aí os bares aos quais eu não resisto. Muitos que resistiram à especulação e estão aí há mais de um século, muitos que vivem praticamente no anonimato, mas que contribuem, todos os dias, com o levantar de suas portas de aço, para que se mantenha vivo o orgulho de ser carioca.

Esse foi o critério para a seleção dos treze bares e restaurantes que você vai conhecer aqui. Em todos eles sinto-me em casa. Posso apostar que você também assim sentirá, quando visitá-los, já que cada um deles tem sua forma de acolher o freguês que chega — seja pelo jeito do dono ou da dona, pelo sorriso do garçom, pelo tempero da comida ou pela intimidade do trato depois de menos de cinco minutos de convívio, ainda que pela primeira vez.

Seja bem chegado. Esteja à vontade e erga um brinde à graça de viver nesta cidade, maravilhosa também por abrigar tantos estabelecimentos capazes de fazer do Rio uma cidade que é como um botequim a céu aberto.”

Abaixo, o convite e a ficha técnica da exposição. E por favor… desconsiderem a qualificação “escritor” atribuída a mim. Foi uma piada de buteco inventada pelo pessoal da ELS2!

convite para a exposição BARES E RESTAURANTES no SHOPPING NOVA AMÉRICA
ficha técnica da exposição BARES E RESTAURANTES no SHOPPING NOVA AMÉRICA
Até!
Anúncios

9 Comentários

Arquivado em botequim, Rio de Janeiro

9 Respostas para “BARES E RESTAURANTES – A EXPOSIÇÃO

  1. >Grande Edu,parabéns pelo trabalho! Tentarei ir na abertura. Grande abraço,Marcelo Alves

  2. >Valeu, Marcelo, muito obrigado! Talvez eu consiga pintar por lá por volta das 22h! Abração.

  3. >Não precisa publicar, é apenas para demonstrar o imenso prazer que senti quando vi o nome do Paladino em sua relação.Tenho um carinho muito especial por este bar histórico para mim.O que são aqueles omeletes, e aquele pão francês maravilhoso com salame…Boa sorte , tudo de bom e parabéns pelo belo trabalho desenvolvido.

  4. >Voce sabe ate quando eh a exposicao? Queria muito ir.O texto ficou otimo.Beijos com muuuuita saudade.

  5. >Betinha, amada: eles não sabem até quando fica a exposição, querida. Assim que eu souber, aviso a você. Beijo com ainda mais saudade.

  6. >Sensacional, Edu!Farei de tudo pra comparecer!

  7. >Belissima selecao. Todos que amam um bom buteco se sentem bem quando veem um time desses em uma exposicao, pois a quantidade de guias de buteco imbecis nos ultimos anos foi enorme. Grande iniciativa, principalmente por lembrar que varios dos melhores estabelecimentos da cidade estao no suburbio.

  8. >Belo texto, malandro! Belo texto! É assim que vamos vencendo uma batalha aqui, outra ali, até que todos compreendam. Em tempo: quando você começou a fazer o roteiro para a exposição, o Rio-Brasília não era a merda que virou, certo? Ele estaria originalmente incluído se não tivesse perdido sua autenticidade? Beijo!

  9. >Flavinho: foi bonito demais, querido – comovente, até -, incluir o BODE CHEIROSO… que jamais constou, sequer, de um guia da rua General Canabarro. Beijo, saudade sua.Bruno: o pranteado e saudoso RB estava, é claro, entre os 15 (eram 15, eram 15!) escolhidos. Como estava também o ADONIS, de Benfica. Como o RB fechou e como o ADONIS abriu uma filial (e você conhece bem meus critérios…), saíram os dois. E ficaram só 13. Beijo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s