DO DOSADOR

Chegou ao fim o Carnaval. Vamos, pois, aos devidos comentários, dose a dose, como de praxe.

* Eu e Dani, juntamente com Szegeri e Stê, depois de uma cerveja protocolar no Rio-Brasília, encontramos Simas e Candinha na Praça Afonso Pena pouco antes das oito da manhã, de onde seguimos de metrô para a Cinelândia. No Cordão da Bola Preta, que arrastou meio milhão de pessoas durante a travessia da avenida Rio Branco, e que ganhou de presente o céu azul de sempre que, este ano, aqui no Rio, deu as caras apenas na manhã do sábado, segui a lição de Nei Lopes e vivi a instabilidade que precede o equilíbrio, a transgressão a partir da qual se estabelece a ordem, fui o saber e fui também a estultice, a falta e a pena, o erro e o perdão, a culpa e a remissão, o céu e o inferno, o ir e o voltar, o mal e o bem inerentes a tudo. Por volta de uma tarde encerramos nossa participação no Bola Preta com alguns chopes no Casual, de onde seguimos para o Rio-Brasília, que foi mais restaurante que nunca, no sentido literal da palavra, neste Carnaval. Às cinco tomamos o rumo de uma cachoeira e depois descemos a Haddock Lobo atrás do Cordão Alegria da Tijuca. Em casa, à noite, assisti ao desfile das Escolas de Samba do Grupo de Acesso A – comentários mais adiante.

* Domingo, debaixo de uma chuva que só arrefeceu por volta do meio-dia, o Cordão do Boitatá fez seu tradicional baile na Praça XV, diante da Antiga Sé, do Paço Imperial, do Chafariz de Mestre Valentim, do Arco do Teles, sob as pedras pisadas do cais. Em 2008, duzentos anos depois da chegada da Família Real, o baile ganhou, dentro de mim, proporções indizíveis. Com 99,9% das pessoas fantasiadas, o Cordão do Boitatá é, ano após ano, a certeza de uma grande manhã de domingo. Partimos às 17h para o Rio-Brasília em busca da restauração necessária, fechamos a noite numa espelunca na própria Haddock Lobo, depois de expulsos pelo Joaquim, e mais à noite estava eu diante da TV para acompanhar o primeiro dia do desfile das Escolas de Samba do Grupo Especial, do Salgueiro especialmente.

* Segunda-feira o café da manhã foi prenúncio de mais um grande dia, à base de algumas garrafas de espumante, cerveja e umas doses de Red Label… Depois de derrubarmos uma garrafa de Gold Label oferecida pelo Prata e depois do almoço oferecido pela Lina e pelo Fefê, descemos Santa Teresa, debaixo de muita chuva, em direção à Copacabana para o baile do Rancho Flor do Sereno. A Almirante Gonçalves ficou pequena e em 2009 é preciso levar o Rancho de volta para a praia. Fim de noite no glorioso Galeto Columbia e depois, ó, TV para o segundo e último dia de desfile do Grupo Especial.

* Terça-feira pela manhã, dia em que partiram de volta meus irmãos Szegeri e Stê, partimos, eu e minha menina, de barca, para Niterói. Nosso destino foi o Se Melhorar Afunda, um cordão porreta de bom. Voltamos já quase no final do dia, demos um passeio pela Rio Branco, tomamos o metrô e o Galeto Columbia foi, mais uma vez, nosso destino. Às duas da madrugada fomos, de táxi, para a Marquês da Sapucaí, já que Dani e meu irmão sairiam no Boi da Ilha do Governador – dia desses conto detalhes épicos da concentração e do desfile. Fomos dormir às oito e meia da manhã e ao meio-dia estávamos de pé para a monumental e tradicional Feijoada da Apuração, na mansão da Manguassônia.

* A feijoada foi, como das outras vezes, o desfecho perfeito para mais um perfeito Carnaval, que nem a chuva inclemente conseguiu abalar. A casa cheia de amigos, os olhos grudados na TV para a apuração do Grupo Especial e do Grupo de Acesso A, e descemos a Conde de Bonfim em direção à quadra do Salgueiro, vice-campeão do Carnaval 2008, para brindarmos, eu e minha menina apenas, a nosso encontro, a mais um Carnaval juntos e à vitória (sim, vitória) da vemelho-e-branco da Tijuca.

Sobre os resultados…

* quando terminou o desfile da Beija-Flor eu cutuquei a Dani, que dormia a meu lado, e disse:

– Não tem pra ninguém!

E não deu outra. A escola de Nilópolis é bicampeã do Carnaval com todos os méritos e ponto final.

* A grande notícia do dia foi a vitória do Império Serrano no Grupo de Acesso A, que leva a escola de Madureira de volta ao Grupo Especial. Assisti a todo o desfile de sábado e – disse isso ao Simas, disse isso ao Moutinho – não achei que a verde-e-branco merecesse o campeonato. Mas nada disso importa, sinceramente. O que importa, mesmo, é que o Império Serrano ganhou o título.

Fecho, hoje, erguendo o copo em homenagem ao Império Serrano e a todos os imperianos de fé que foram incansáveis e responsáveis, cada um a seu modo, pela conquista incontestável da escola.

Até.

Anúncios

6 Comentários

Arquivado em do dosador

6 Respostas para “DO DOSADOR

  1. >”Sou… imperiano… na alegria e na dor…”Agora, principalmente, na ALEGRIAAA!!!!!!!!!!!

  2. >A ciranda no encerramento do Cordão do Boitatá foi a síntese da beleza de todo o Carnaval para mim. Nem mesmo a chuva abalou.Faltou, no entanto, e visita ao Joaquim e ao Rio-Brasília. E salve o Império Serrano!

  3. >O que me deixou mais triste neste carnaval foi ter perdido o Boitatá. Ano passado foi lindo e tenho certeza que neste ano não foi diferente. não vi os desfiles, mas já tô meio de saco cheio com essa história de Beija Flor. Por mais que tenha sido um desfile impecável, duvido que o resultado não tenha o dedo do Anísio. Por isso, saúdo o Salgueiro pelo segundo lugar com sabor (pra mim, pelo menos) de vitória.

  4. >Ô timoneiro, não molhe a bunda!!! Se melhorar, afunda!!! E o ônibus que nunca passa naquela porra e cismou de passar justo na hora do bloco?! Levaram horas para isso. Terminamos à noite na descida da praia das Flexas. Mas o melhor mesmo foi o cordão do Boi Tolo, falsa dissidência do Boitatá. Já o Bola, só aquele locutor chato puxando o saco dos políticos e um monte de babaquaras parados na pista, micaretando, azarando, fazendo a avenida do bloco de concentração, que merda! Eu quero que o Bola clube, cheio de ladrões, se foda!!! O que é preciso salvar é o Bola cordão!!! Zé Sergio

  5. >Portela, Edu. Portela. A azul e branco merecia colocação melhor.

  6. >Edu,Aquele cheiro no ar de armação para a Grande Rio ser campeã (felizmente) não ocorreu, Se não me engano, você escreveu que “arrumaria” uma justificava se ela não ganhasse?P.S: Sacanagem a Acadêmicos do Projac ficar na frente da (minha)Portela …Abraços

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s