>2006

>

Vou fazer um troço hoje que jamais fiz se tomarmos o Buteco como prisma dos meus gestos: vou descumprir a promessa que fiz ontem e não farei balanço algum do ano que se aproxima do fim. Mas justifico. Sentei-me aqui, diante da tela, que equipara-se à folha em branco dos escritores de outrora, e, fazendo o necessário retrocesso para ser preciso do início ao fim no cumprimento da tarefa a que me propus, ri, chorei, dei gargalhadas, chorei de novo, e já sou capaz de ouvir meu pai muxoxando diante do computador:

– Chorou? De novo? Caraca! – que meu pai não fala “caralho” jamais, é um gentleman.

Mas é que mexer com os afetos – e nada como ter uma psicóloga dormindo conosco para que a compreensão dessas coisas fique mais nítida e possamos, então, lidar bem com esse turbilhão emocional – acaba mesmo sempre dando nisso.

Daí eu resolvi, em nome da auto-preservação, já que discorrer sobre tudo, citar nomes, esmiuçar cada coisa, me faria sofrer mais do que o desejável, recomendar a leitura de onze textos, um de cada mês do ano, não contando dezembro, evidentemente.

Adianto-me, entretanto, na explicação necessária, já que sou capaz de ouvir meu pai muxoxando diante do computador:

– Sofrer? De novo? Putz! – que meu pai não fala “putaquepariu” jamais, é um lorde.

Sofrimento não é dor, necessariamente. É saudade. É banzo. É emoção diante da beleza. E é o que me engrandece, eu, discípulo confesso do Poeta.

De janeiro eu recomendo esse “DOMINGO É O DIA”, e o dedico à saudade de dois mais-que-queridos, Szegeri e Dalton.

De fevereiro eu recomendo “PAJELANÇA”, onde há um video hilariante, eu cantando um fado, no Nova Capela, ao lado da Dani, da Inês e do Mauro.

De março em recomendo “ELIS REGINA, A PIMENTINHA”, e o dedico à saudade que tenho da mais doce e terna cocker-spaniel do mundo e ao carinho, sem limites, de minha mãe.

De abril, mês sempre dificílimo pra mim, recomendo “NO TRAPICHE GAMBOA”, que é o relato da minha festa de 37 anos, e o dedico ao Rodrigo Folha Seca, que aparece numa das fotos comigo, antecipando nosso (re)conhecimento.

De maio eu recomendo “FRIO NO RIO”, e o dedico ao Fraga, puta aquisição afetiva em 2006. Saravá!

Do mês de junho eu recomendo “ACR E UM PLÁGIO”, marco na luta pessoal contra as barbaridades cometidas pelo jornal O GLOBO.

De julho eu recomendo “UMA HOMENAGEM PARA O SZEGERI” que, como não poderia deixar de ser, é dedicado ao maior ser humano que conheci em 37 anos de vida. Tenho, dele, nesse exato instante, olímpica saudade, e envio daqui, de pé, no balcão do Buteco, todo meu afeto, muito axé, pra minha irmãzinha Stê (tô chorando, pai, fudeu de novo…) e pra Iara, minha família siamesa, distante mais do que eu gostaria.

De agosto eu recomendo “FURANDO O BLOQUEIO”, onde aparece o já conhecido video no qual eu grito, ao vivo, o nome de meu saudoso e eterno Governador Leonel de Moura Brizola.

De setembro, “OS PRESENTES IRRETRIBUÍVEIS”, e o dedico à Glória, ao Delson, ao Tico, ao Capitão Leo, ao Szegeri (de novo, e sempre), ao Toledo, ao Próspero, à Cidália, e ao Bruno Ribeiro, todos citados lá. E especialmente ao homem que inspirou-me para escrevê-lo, meu querido Simas, outra puta aquisição pessoal em 2006.

De outubro, “UM SENHOR SÁBADO”, e o dedico a Tiago Prata, o Pratinha, o Prata Querubim, que eu ainda não decidi se é meu irmão mais novo ou meu filho único adotivo. E ao Moacyr Luz, de volta depois de longo e tenebroso inverno.

De novembro, recomendo “HÁ POUCO MAIS DE VINTE ANOS”, e o dedico ao Vidal, a Lenda, meu irmão mais antigo, e que me derrubou dias antes do primeiro jogo do Brasil na Copa do Mundo quando, com os olhos cheios d´agua, me disse:

– Edu… ´cê tá lembrando que depois de amanhã começa a Copa e que há exatos vinte anos assistimos ao primeiro jogo do Brasil juntos, na casa do Marquinho, na Grajaú?

Eis aí, meus fiéis leitores, a verdade que o Aldir já traduziu: é na saudade que tudo o que amei sobrevive.

Um puta ano novo para todos. Em especial pro meu siamês, o Fefê, com um carinho incomensurável, torcendo pra que eu não falte a ele, como jamais ele me faltou.

É o que eu desejo, de olhos marejados (não tem jeito, meu pai…), a cada um de vocês.

Até 2007.

10 Comentários

Arquivado em Uncategorized

10 Respostas para “>2006

  1. >Bom descanso, querido. Fostes a minha melhor aquisição de 2006, marcado por tantas perdas. Você me ajudou bastante, com teus textos e tua preocupação, a reaver o prumo. Um putabraço e até janeiro!

  2. >Edu,Um feliz Natal pra você e pra Dani também ! Vocês são um casal muito especial…E que você continue nos alegrando com seus textos em 2007… quem sabe até preparando um novo livro… não tá na hora ainda ?Beijos e tudo de bom !!!

  3. >Um brinde a todos nós, iguais nesta noite 🙂

  4. >Um beijo meu irmão e um puta 2007 pra gente.

  5. >Capitão-do-mato,Que a gente tente sempre, e não consiga nunca, pôr o papo em dia…Saravá!

  6. >Edu…as palavras emocionam, sempre, e ao relê-las as feridas (boas) sangram de novo. O Atlântico é o sorriso largo de Dani que faz as marés no teu choro. Entre um ponto e outro estamos nós, diferentes no povo mas iguais no coração… A diferença ??Desse lado exteriorizas o choro, deste lado, interiorizamos…não desperdiçamos uma lágrima desta amizade. Obrigado e BOM ANO.Cidália, Próspero, Eduarda e Eurico e, claro, a NOSSA Inês que nos abraça.

  7. >Alô, Edu! Meretríssimas! Beijão procê e pra Dani!

  8. >Oi Du, Felizzzz 2007 para Vc, Dani Ton ton e todos da sua família! Muita saúde, paz e prosperidade. Manda uma foto depois do filhão Siamês… vc sabe q eu adoro!bjksDD

  9. >Dudu, somente agora estou “participando deste seu buteco”,…sensacional!!!!Dudu, como eu te admiro!!Meu querido, vc. pode estar c/ cabelos brancos, que sempre verei vc. como um menino poeta, de alma doce, sensível sabedoria e um ÁZ para tocar a vida.Um 2007 surpreendente de emoções agradáveis, muita inspiração e como sempre muito amor.Um beijo super carinhoso da Tia Cristina

  10. >Dudu, somente agora estou “participando deste seu buteco”,…sensacional!!!!Dudu, como eu te admiro!!Meu querido, vc. pode estar c/ cabelos brancos, que sempre verei vc. como um menino poeta, de alma doce, sensível sabedoria e um ÁZ para tocar a vida.Um 2007 surpreendente de emoções agradáveis, muita inspiração e como sempre muito amor.Um beijo super carinhoso da Tia Cristina

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s