>JOTA E O VADE-MÉCUM

>

Era evidente que isso aconteceria, convenhamos.

Dois dias depois da festa de lançamento da sétima edição do “Guia Rio Botequim”, no Circo Voador, não poderia ser outra a manchete da coluneta d´O GLOBO: “Viva os botequins do Rio!”

Mas como eu sou radical – e obrigado, Bruno Ribeiro, pelo comentário feito em um dos textos de ontem – quero expôr, na vitrine do ridículo, algumas das besteiras, pra variar, escritas ali. E digo “algumas das besteiras escritas ali” com uma certeza do acerto que chega a me acalmar, tamanha a verdade do troço… Ou porque a coluneta escreve besteira ou porque é uma besteira o que ela noticia.

Vamos em frente. Abre assim a coluneta:

“Carlos Eduardo Thomé, o Kadu, do Bracarense, e Antônio Rodrigues, do Belmonte, se cumprimentaram e posaram no mesmo grupinho para as fotos no lançamento anteontem do Rio Botequim, no Circo Voador. Foi uma breve pausa na velha rixa dos dois empresários de bares da Zona Sul. Logo depois Kadu reclamaria da comida servida na festa, oferecida pelo Belmonte: ´O bolinho de camarão parece uma bola de golfe, se você jogar em alguém, mata´.”

Há uma acerto nisso aí. É quando o Jota se refere aos dois investidores como “empresários de bares da Zona Sul”. Da mesma nota emerge uma vergonha que eu já havia denunciado, depois de ler a barbaridade no blog do Juarez Becosa: foi o Belmonte que ofereceu (de graça? em troca de quê?) a comida servida na festa. Como pode, porra? Podendo. Sem o mínimo de ética, tudo pode. Pode o mesmo Belmonte fazer propaganda de todas as suas filiais dentro do próprio guia e ainda oferecer (de graça? em troca de quê?) a comida no dia do lançamento. E isso sem falar na apenas aparente rusga entre os dois investidores (ou representantes de investidores), apontada em tom de fofoca nojenta. Tudo jogo de cena para render nota atrás de nota.

Há outro tijolinho dentro da mesma nota, dando conta de que o chope foi servido em copo de plástico. E aproveita, o Jota, para dizer que, por exemplo, “o compositor Moacyr Luz, boêmio veterano, nem reclamou do copo ser de plástico”. Eu duvido. Trata-se de mais uma mentira ventilada pelo homúnculo. Chope servido em copo de plástico?! Essa foi apenas uma das razões pelas quais estava lotado o Bar Brasil, na Mem de Sá, pertinho do Circo Voador, de convidados para o lançamento. Somada, também, à luta travada entre os civilizados convidados que, à base de cotoveladas ferozes, disputavam a comida como bárbaros.

Em outro tijolinho, o Jota, que não dá ponto sem nó – esse é seu vigésimo sexto atentado apontado por nós, veja no menu à direita – faz, mais uma vez, propaganda para o homem (de graça? em troca de quê?). Vejamos a nota:

“Antonio Rodrigues, do Belmonte, anunciava que vai abrir em janeiro, na esquina da Lavradio com Mem de Sá, o Antonio´s, com piano, jazz e uísque no segundo andar. Depois, vai transformar um pé sujo que tem em Ipanema, o Lago Mar, na Vinicius, num filial do Antonio´s. ´Mas não vou deixar de servir prato feito a R$5,00 para a peãozada.´ Por dia, hoje, saem 300 PFs no pé sujo.”

Vamos por partes… O mesmíssimo Jota já havia anunciado mais essa nova empreitada do Antonio Rodrigues, leiam aqui. Pra quê – ou em troca de quê? – dar a mesma notícia outra vez? Pra quê, também, valer-se do aposto “do Belmonte”, se três tijolinhos acima já havia conseguido escrever o nome do bar-mentira do tal cidadão? Em troca de quê? E a barbaridade das barbaridades!!!!! Dentro de uma nota com a manchete “Viva os botequins do Rio!” o Jota anuncia que seu amigo irá acabar com um pé-sujo para abrir “novo bar em janeiro, agora de padrão sofisticado, em Ipanema. Nada de chope. Será especializado em uísque e destilados.” – não sou eu que estou dizendo, é o próprio homúnculo, leiam aqui. E ele quer que eu acredite que a peãozada vai ter direito a comer PF a R$5,00 em Ipanema, dentro de um bar de padrão sofisticado? Então tá.

Pra terminar, só mais um comentário que dará bem a vocês a dimensão da imundice e da podridão de tudo isso. Não faço a menor idéia do critério utilizado para a seleção dos convidados. Mas é que a certa altura da imunda nota, diz o Jota que “os donos de botequim, citados no guia, como os melhores petiscos e comidas de bar, saíram da festa com diplomas…”.

Hoje, passeando com meu mui fiel vira-lata, passei em frente ao Rio-Brasília.

– E aí, Joaquim? Boa noite, Terezinha! Gostaram de ver o Rio-Brasília no “Rio Botequim”?

Disse ele:

– Aonde?

E ela:

– Rio o quê?

Expliquei.

Não sabiam de nada.

Dentre os quase mil convidados para a festa, selecionados segundo um critério tão babaca quanto inexplicável, não estavam dois patrimônios da zona norte, Joaquim e Terezinha, que conduzem o Rio-Brasília (citado no guia) com um carinho que os “empresários de bares da zona sul” não têm. Talvez, por não serem essa merda, por não fazerem parte dessa corja, os dois não tenham sido convidados.

Até.

17 Comentários

Arquivado em Uncategorized

17 Respostas para “>JOTA E O VADE-MÉCUM

  1. >Você realmente é o máximo! Sua firmeza contra esse modo de agir do Jota é impressionante e mais do que isso é coerente e muito bem documentada! Incrível. O que está dito está provado. Muito bom!

  2. >Diante disso, Edu, só há uma solução: vamos botar o nome do jota, do kadu e do antônio rodrigues na boca do sapo! E o mais rápido possível!

  3. >Edu: muito verdadeira a reação do Joaquim e da Terezinha diante de sua pergunta. Deu pra sentir daqui o grau de honestidade do butiquim. A prova de que eles não compactuam com essa merda toda está no não-convite. E outra: eu conheço um pouquinho o Moacyr, já bebi algumas vezes com ele e tal. É evidente que ele não gostou do chopp em copo plástico. Boto minha mão no fogo que o Jota inventou isso aí, botou palavras na boca alheia. Beijo mano.

  4. >O Bar Brasil reuniu muita gente mesmo, inclusive este que vos fala, Rodrigo da Folha Seca, Baiano, Moa e Loredano…

  5. >Edu, este atentado valeu por dois, hein mano!!!

  6. >Romualdo: obrigado, a idéia é justamente essa… Deixar tudo às claras, evidente, para que eu seja menos chamado de radical e considerado apenas mais criterioso.Felipe: isso aí é com o Simas, departamento dele.Grande Bruno: também gostei pacas da humildade, da sinceridade e da simplicidade extrema dos dois, sabe? E isso diz tanta coisa sobre aquele bar… Quanto ao Moacyr eu também não tenho dúvida. Só um babão de gravata não acha ruim beber chope em copo plástico, e não é esse o caso do Môa.MM: o que apenas corrobora o que eu disse… A festa estava estranha, com gente esquisita e o chope uma bosta.Favela: verdade. Mas não se iluda. Vem mais por aí. O Jota não dá ponto sem nó.

  7. >Eu estava na festa e foi mais ou menos isso mesmo. Pouco garçom pra muita gente. Pouca comida pra muita gente. Muito copo de plástico pra muita gente. Não gostei.

  8. >Grande Edu,este pessoal não engana mais ninguem!! E , o pior, estragamo que poderia ser uma boa idéia: um guia honesto de butecos idem!! um abraço a todosMarcelo Alves

  9. >Edu,estava do teu lado quando você recebeu o novo guia e senti, verdadeiramente, a tua disposição em ressaltar os acertos e os erros.Mas não nos iludamos. É uma bostinha, a começar pela capa, coisa de bicha velha.Afora isso, o especialista não foi ao Rio-Brasília. Colocou a sardinha só para te agradar. Cadê as coradas, meu cacete!! Só respeito um guia se citar as coradas. E tenho dito: Não Passarão!

  10. >Edu, o bar do Adão abriu uma filial em Botafogo. Desse jeito, vai ter filial de bar até em Campos. Hehehe. Beijo

  11. >Salve Edu,Parabéns pelo bom trabalho por aqui!Abraços

  12. >Edu,Como leitor assíduo do seu blog, tinha certeza de que seriam feitas críticas pesadas sobre o lançamento desta edição do Rio botequim. O que me surpreendeu foi a convicção com a qual vc esreveu sobre alguém que vc ñ conhece. Deixe-me apresentar >>>> Kadu, proprietário do bar Bracarense. Se você procurasse saber quem eu sou, concluiria, que nem de longe pareço um empresário. Sou apenas mais um jovem boêmio apaixonado pelo Rio, que tenta fazer a sua parte e assumir suas convicções, como na critica que fiz ao bolinho muito mal copiado pelo Belmonte e que é um dos ícones do Braca. Defendo minhas opiniões, independente de quem seja, e foi o q fiz neste caso. Como vc mesmo escreveu, patrocinar o guia é um tanto tendencioso, para finalizar, gostaria de esclarecer que esta “rusga” que vc cita é muito antiga, da época que o Belmonte nem tinha filias, e todos do meio sabem do episódio. Desde já agradeço a atenção, e sempre a disposição, para um chope de esclarecimento, Kadu .

  13. >Alex: obrigado por corroborar tudo o que eu disse mesmo sem ter ido à festa!Simas: também duvido que o especialista tenha ido lá. Duvido. Quanto à capa… Nós sabemos, graças a nossos bons contatos, que o público arco-íris está a-d-o-r-a-n-d-o a tal capa… Logo… Você está certo. De novo.Candinha: um lixo, isso. Nunca pisarei na sórdida e mentirosa filial de Botafogo. Onde servem – soube hoje – cerveja quente.Marco: obrigado. Mas não há exatamente um trabalho aqui. Tudo aqui é pelo prazer de manter viva a chama do que há de mais carioca. Obrigado pela visita, pelo primeiro pitaco, sinta-se à vontade, seja bem chegado.Kadu: quem escreveu isso sobre você, meu caro, foi o homúnculo, o Jota, que agora – parece – tomou-se de amores pelo dono de um bar no Catete, onde ele próprio almoçou na semana passada, sem pagar, evidentemente. Não nos conhecemos, é verdade. Mas se você é contra esse lixo, essa mentira sórdida, essa nojeira chamada Belmonte, é meio caminho andado pro primeiro aperto de mão e pro primeiro chope na pressão, servido no balcão. Você não tem nada para esclarecer, Kadu. Mas é bebendo que a gente se entende. Abraço.

  14. >Edu,com certeza é bebendo q agente se entende !!!!! Abraço .

  15. >Capitão-do-mato,Apenas um detalhe, e pode assinar embaixo: O Kadu é das melhores figuras que se pode querer conhecer.Saravá!

  16. >Fraga, querido: antes de mais nada, saravá! Daqui, do balcão, de minha parte, a torcida foi forte e a pajelança intensa!Vamos ao que interessa, passado o perrengue…Seja você, então, faço questão, o homem que marcará esse chope a três, no mínimo. Fechado?Forte abraço.

  17. >Capitão-do-mato,Como minha recuperação está sendo ótima, estou certo que sua pajelança foi fundamental.Agora, diante dessa tão prazerosa missão, farei de tudo para que o médico me dê alta logo … Obrigado pela seu incomparável carinho.Saravá!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s