O PATRÃO

Mantendo sua impressionante e facilmente verificável regularidade, volta à carga o Joaquim Ferreira dos Santos, hoje, exultando aquele que parece ser o dono do latifúndio representado por aquela coluneta do jornal O GLOBO, que atende pelo nome de Antonio Rodrigues, tantas são as vezes em que é citado, exultado, adulado, idolatrado, salve, salve. Saquem a nota:

nota publicada no jornal O GLOBO de 18 de setembro de 2006

O Joaquim Ferreira dos Santos consegue, na mesma nota, citar o nome do Leblon, único bairro que parece conhecer, citar os nomes de dois bares metidos a besta (Jobi e Belmonte), citar o nome da padaria-cenário da novela “Páginas da Vida” e adiantar o cardápio da nova empreitada do patrão, o restaurante Codajás: pães da casa, salada no almoço e massa no jantar.

Pergunta necessária: qual restaurante não tem esses troços?

Tudo muito impressionante.

A rentabilidade da nota e o inventivo cardápio.

Como diria o Brizola:

– Francamente!

Até.

Anúncios

3 Comentários

Arquivado em botequim, imprensa

3 Respostas para “O PATRÃO

  1. >Edu, estou impressionadíssimo com o cardápio! Impressionadíssimo! Salada no almoço e massa no jantar. Como é que nenhum restaurante tinha pensado em tamanha originalidade? Com sinceridade, de todas as barbaridades do jota, essa foi a mais patética que li.Tudo ao mesmo tempo agora. Abraço

  2. >Chocante… mas não deveria surpreender, vindo de quem considera a Dias Ferreira a “rua síntese” do Rio de Janeiro.

  3. Pingback: NOJO ABSOLUTO | BUTECO DO EDU

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s