>O RECADO DO SZEGERI

>

Vejam vocês se eu posso ser 100% normal, como mamãe e papai gostariam que eu fosse.

Bastou eu falar, aqui no Buteco, dos radinhos de pilha, das delícias das coisas mais simples, bastou fotografar e expor meu Motobrás e pronto!

Antes preciso dizer que a marca é MOTOBRAS, sem o acento, que eu coloco quando escrevo apenas para que as pessoas não leiam errado o santo nome do santo objeto.

Os amigos, os amigos dos amigos, todos tiveram febre e saíram em busca de seus baús pessoais atrás de seus Motoradios (deram vez aos Motobrás), de seus Spikas (papai tem um! papai tem um!), de seus egoístas, e eu digo, sem modéstia, que teve início um movimento que pretende dar vez, de novo, a esse inseparável amigo do homem, o radinho de pilha.

Mas como eu dizia, vejam se eu posso ser normal cercado de gente como o Szegeri, por exemplo.

Eu chego em casa e dou de cara com a luzinha vermelha da secretária eltrônica piscando. Aperto o botão.

E o quarto é inundado pela voz do Pompa, dizendo as seguintes palavras:

“Queridos… é o mano Szegeri.

´cês tão aí?

Então eu vou deixar gravado…

Edu…

Que lindo…

A voz do radinho vermelho…

Se liga, se liga!

Ele funcionou, Edu! (com a voz já embargada)

(fala o radinho vermelho)

Que lindo, né, querido?

(Szegeri chorando)

Beijo-tchau!

(fala a secretária eletrônica)”

Seguramente você acha que isso é fruto de minha imaginação ou mais um de meus exageros. Então ouça. E veja você mesmo que eu sou, sempre, preciso do início ao fim.

Eu posso ser 100% normal? Não, evidentemente que não.

Até.

6 Comentários

Arquivado em Uncategorized

6 Respostas para “>O RECADO DO SZEGERI

  1. >Edu, você fala, fala, fala, fala, mas só agora ouvindo essa gravação hilariante eu soube que grande figura é seu irmão paulista! SENSACIONAL! Que figura!

  2. >Ô Edu, o “Eduardo” convocado é você sim, rapá! Só que eu fiz uma pequena confusão: eu vou é na outra quinta, dia 31, e não nessa agora. Vamos fazer o seguinte: quando souber onde vou estar hospedado, te aviso e a gente bebe no melhor boteco perto do hotel. Será um prazer tomar umas contigo e se o Szegeri tiver por aí, melhor ainda, pois já nos conhecemos em São Paulo. Um abração!

  3. >Maravilhoso! tô chorando de rir…essa foi muito bacanaabração…já ia me esquecendo: Salve Brizola!Cris – Curitiba (para vc não me confundir novamente com sua amiga)

  4. >Roberto: isso não é nada perto do que o Szegeri produz, eu só queria mesmo deixar o registro de voz do meu irmão paulista e provar que o que eu digo, sempre, é o retrato preciso dos fatos, como a transcrição do doce recado deixado em minha casa.Bruno: o Szegeri não estará aqui, provavelmente. Aguardo suas coordenadas. Sendo possível é evidente que eu vou.Cris – Curitiba: não fique triste comigo, mas se eu sou preciso do início ao fim sou também sincero na íntegra: quem é você, criatura?! Cris? Curitiba?

  5. >Realmente a imagem do radinho causou comoção nacional!!!Abç!!

  6. >ahahahahahaahhahahahahahaah, vcs me matam de rir!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s