AS COLUNAS DO JORNAL O GLOBO

Quem acompanha as discussões no interior do Buteco, de pé no balcão ou mesmo sentado à mesa, sabe que eu sou um indignado com o modus operandi de algumas colunetas do jornal O Globo. O volume daquilo que chamo de barbaridades dá bem a dimensão do quanto é, no mínimo, questionável o critério dos responsáveis pelas colunetas para dar uma notinha, termo que eles adoram.

E hoje eu trago mais uma barbaridade para o conhecimento de vocês, meus poucos mas fiéis leitores. Não sobre os bares-mentira que a coluneta Joaquim Ferreira dos Santos tanto exalta, como vocês verão, mas sobre uma propaganda mal disfarçada, deselegante e que atenta contra a inteligência do leitor médio. Vejam bem que eu não estou dizendo que os responsáveis por essa coluneta venderam o espaço, não estou dizendo que foram eles os deselegantes nem tampouco estou dizendo que eles atentaram contra a inteligência do leitor, embora tudo isso possa – eu disse possa – ser verdade. Mas estou dizendo que o sujeito que cravou a tal fotografia e o tal texto bem no centrão da coluna deveria ter tido o mínimo cuidado de checar uns poucos dados, coisa que eu fiz ainda há pouco e que me tomou menos de cinco minutos.

nota publicada no jornal O GLOBO de 07 de agosto de 2006

lá, como vocês podem ver, uma foto bastante grande de uma orquídea “transplantada” (a palavra e as aspas são do texto da coluneta) para “esta árvore na altura do número 185 da Rua do Lavradio, na Lapa”.

Na foto, como vocês podem ver, assim, sem querer (preciso pedir licença para gargalhar), em destaque, um toldo no qual se lê “TEL: 2507-5111 – brecho.multiply.com”.

Muito bem.

Vamos continuar “lendo” a nota: “É a primeira vez que ela floresce, coisa que só deve acontecer uma vez por ano. Flávio Rodrigues Santoro fez o registro para deleite dos nossos leitores”.

Eu não sei que leitor terá se deleitado com esse troço.

Eu liguei pro 2507-5111. Atendeu um sujeito e eis o diálogo:

– Brechó, bom dia!

– Bom dia. O Sr. Flávio Rodrigues Santoro está?

– Ainda não chegou.

– Sei. E você pode me dar o endereço daí?

– Pois não. Rua do Lavradio 185.

– Obrigado.

– Quem está falando?

Eu preferi desligar.

Notem bem…

Eu não posso ter sido a única pessoa a pensar nisso… Nessa suposta coincidência, nesse ângulo inusitado da fotografia para fazer aparecer destacado o nome e o telefone de um estabelecimento comercial…

Como diz o autor da coluneta, na minha terra o nome disso é… deixa pra lá (que pensando bem nem é um chavão original, e salve Stanislaw Ponte Preta).

Até.

Anúncios

3 Comentários

Arquivado em imprensa

3 Respostas para “AS COLUNAS DO JORNAL O GLOBO

  1. >Indecente, imoral, inacreditável. Você está prestando um grande serviço, Edu, deixando o rei global nu.

  2. >Cara, ta difícil mesmo de saber aonde termina o que é notícia e aonde começa a publicidade.Deve ter acabado o espaço destinado a publicidade paga e o jeito e marretar nas colunas mesmo…e receber por fora, mas o negócio é não dar mole e meter o pau nesses caras sempre….Caio

  3. >Nossa, que absurdo!!!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s