PLANTÃO

“Se eu quiser fumar eu fumo
se eu quiser beber eu bebo
não me interessa mais ninguém”

(Paulo Marques e Aguile Chaves)

Nunca é demais repetir que o Buteco muito raramente abre aos sábados, salvo motivo, digamos, relevante.

É que eu fiz tanto estardalhaço, anunciei coisas, comprei remédios, e mais, e mais, que acho que devia, ao menos, uma satisfação. Uma satisfação a quem torceu e empenhou solidariedade, uma satisfação aos que desde o anúncio não conseguiram conter a gargalhada.

Aos primeiros devo dizer que foi tudo um tanto quanto inesperado. Aos segundos, rendo-me. Ainda não foi dessa vez.

É que foi tudo mais forte que eu. As razões nem vêm ao caso. São praticamente inexplicáveis.

Mas voltei a fumar. Infelizmente.

Mas felizmente, graças à primeira tragada, intensa, voltei a viver sensações inesquecíveis.

Até. E se quiserem me esculhambar, fiquem à vontade.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em confissões

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s