E NASCEU A CRIANÇA…

Terça-feira, dia 06 de dezembro, por volta das 18h, nasceu meu filhote. “Meu Lar é o Botequim” chegou às minhas mãos, em Niterói, muito mais bonito que eu imaginara no meu mais bonito sonho. Vamos ao dia de ontem, recheado, como vocês podem imaginar, de emoções as mais intensas.

Marquei de encontrar o biltre do Zé Sergio, mais conhecido como “Dinda” em razão das carradas de declarações que faz a mim, no Mercado São Pedro, do outro lado da poça. Tomei um ônibus pra Praça VX, o Catamarã pra Niterói, e de lá um táxi pro Mercado. Zé Sergio, também conhecido como “Velha Coroca”, alcunha de autoria do meu irmão Szegeri, me esperava como um desses bonecos infláveis de posto de gasolina, branindo os braços diante da entrada do Mercado:

– Vamos pra outro lugar! – gritou o Zé já entrando no banco de trás.

Tomamos o rumo do Caneco Gelado do Mário.

Algumas garrafas de Brahma e uma porção excepcional de polvo à vinagrete, e o Zé pega o celular. Passa o telefone pra mim (antes disso o Augusto, outro biltre olímpico, também ligou).

Era o Szegeri. Minha “madrinha”, orgulhosa, quis que falássemos, eu e o Szegeri, poucos instantes antes da chegada do livro, fresquinho, direto da gráfica. O Zé decretou:

– Vamos invadir a Casa Jorge! Não agüento mais esperar aqui!

Chegamos à editora. Antes de subirmos, passamos na padaria em frente e adquirimos (eu paguei, que o Zé ontem parecia um judeu ortodoxo das piadas de buteco) algumas latinhas de cerveja, uma garrafa de espumante e biscoitinhos salgados sortidos.

Marcia Silveira, minha doce editora, não escondeu o olhar de pânico quando nos viu.

– Mas o que vocês estão fazendo aqui, meu Deus?

O Zé, com a intimidade que só os cabelos brancos permitem, gargalhou, sentou-se à mesa, abriu a primeira latinha, pôs meia dúzia de biscoitos na boca, arrotou (como o velho Osório) e disse de boca cheia:

– Vamos esperar o livro!

Uma Marcia sem jeito:

– Mas eu acabei de mandar a gráfica entregar 300 livros na casa do Edu…

– Mas vai chegar aqui primeiro, não vai? – disse o Zé com a boca lotada.

– Vai, mas…

– Sem mas-mas… Vamos esperar!

Ficamos ali, naquele bebe e come, falando besteira, quando toca a campainha. Saltamos da cadeira, eu e o Zé, e atacamos como hunos o pobre rapaz da gráfica com dois pacotinhos na mão.

A Marcia:

– Mas, gente… Calma…

O Zé estava sentado sobre a barriga do Maurício abrindo com a boca um dos pacotes. Jogou um livro em minha direção.

Saí, de fininho, com o livro nas mãos, e fui chorar na recepção da editora.

Vem o Zé, em poucos minutos.

– Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh… chorando… coisinha de viado… – disse o Zé.

O Zé disse isso e em segundos chorava de esguichar.

A Marcia tirando um sarro da cara dele:

– Ué, Zé… Não é coisinha de viado?

O Zé, que me deu um abraço de tamanduá, dizia:

– Mas tá lindo o livro do menino… – e chorava mais.

Pegou o celular, o Zé, de novo, e ligou pro Szegeri.

Entre taças de espumante e farelos de biscoito, pusemos o Szegeri, coitado, pra falar com a Marcia, com o Maurício, e ficamos ali, brindando e festejando o nascimento da criança.

De lá fui bebemorar com Flavinho e Betinha, no Picote, no Flamengo. Dei breve esticada no Bar Getúlio, onde bebi a última da noite com o Baiano, a quem intimei para o lançamento, na próxima segunda-feira, às 20h, no Estephanio´s, onde quero ver todo mundo.

Até.

Anúncios

6 Comentários

Arquivado em gente

6 Respostas para “E NASCEU A CRIANÇA…

  1. >Porra Du .não vais trazer ” nosso neto ” aqui em casa para que os avós vejam ????

  2. >Edu! Que bom receber um mensagem tua!Juro que já tenho saudades vossas, o que não é difícil, tendo em conta todo o carinho com que me receberam.Não há “Obrigada” suficientemente grande para expressar toda a minha gratidão!As fotos vão demorar mais do que eu esperava a aparecer porque parte delas ficaram no computador do “sunga amarela” (casal sunga e casaco amarelo soa bem, não achas? :)).Mas, o prometido é devido e as fotos não serão esquecidas.Um beijo enorme para ti e para a Dani.PS – Esse novo rebento deve estar lliiiiinnnndo!!!! Estou ansiosa por o ver e ler.

  3. >ja to lendo o seu livroexcelente heinmuito sucesso pra voce

  4. >Edu querido! Chegou o grande dia!Mais uma vez Parabéns e que este lançamento sirva de estágio para os muitos que hão-de vir. Tenho a certeza que “O Meu Lar é o Botequim” vai ser um sucesso.Pena não poder estar aí para partilhar deste momento tão importante mas asseguro desde já a minha presença no lançamento em Boston. Para quando é? :)Um beijo enorme e com saudades,Nês

  5. >Conheci o seu blog pelo blog paralelos. Ele é muito interessante e com textos bacanas. Parabéns pelo livro. Deve ter talento.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s