ATÉ BREVE, FUMAÇA!

E vai embora mais um talento. Por pouco tempo, eu sei, mas não deixo de me irritar com o troço. Fumaça parte na segunda-feira que vem, 07 de novembro, pra uma temporada de seis meses em Maputo, na África, a trabalho.

Competentíssima, bem nutrida e bem alimentada, embora dona de uma fome olímpica, que a fez ajoelhar-se e chorar diante do Coliseu, em Roma, de fome, Fumaça é como a Lelê Peitos: ri as 24h do dia e é companhia indispensável em velórios, uma forma carioca de amenizar a dor numa hora dessas.

Aquisição recente, Fumaça adentrou o gramado e ganhou a torcida de cara.

Na Ilha Grande, durante um feriado, Débora virou Fumaça depois de hilariante episódio. Abraçada a uma garrafa de cachaça, Débora acompanhava minha performance ao violão. E eu fumava. Triscada, interrompeu uma canção e disse, linguinha enrolada, confundindo as coisas graças à visão também embaçada:

– Edu, Edu! Toca mais devagar! Tá saindo fumaça de dentro do seu violão!

E cravou-se ali o apelido definitivo.

No domingo, durante o churrasco na StefHouse, parte da patuléia despediu-se da moça rendendo a ela comoventes homenagens.

E como pra bom entendedor meia palavra basta, finalizo desejando a ela mais do que uma boa viagem, mais do que sucesso, mais do que bons negócios. Quero mesmo é que ela volte logo:

Fumaça vale muito
e vale muito porque é doce.
Muito mais que a Vale,
que é Vale do Rio,
como se Doce fosse.
Doce é ela
que é uma doce companhia.

A Companhia nem tanto.
Já foi minha (a Companhia),
não é mais.
Deixou de ser Doce
quando foi vendida
a podres capitais.
Já a Fumaça é minha
como é da Dani
e dos meus também.
Não se vende, não se rende.
Beijo, tchau e amém.

Até breve, Fumaça. Ergo, do Buteco, com a Dani ao meu lado, o copo imaginário a você!

Até.

Anúncios

7 Comentários

Arquivado em gente

7 Respostas para “ATÉ BREVE, FUMAÇA!

  1. >Hummmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm, poeta também!

  2. >Belas palavras, Edu. Sua amiga Débora tem todas as razões do mundo para ficar emocionada e feliz. Nada com ter amigos que sabem como poucos demonstrar afeto. Gostei muito do poema, e não sabia que você os escrevia, lembro apenas de um, também muito lindo, para o seu irmão, eu acho. Parabéns.

  3. >BUNITINHUUUUUUU D+!!!!! Amei seu blog!

  4. >Edu,vc. é um mestre reconheço,mas falar de Débora é muito fácil,ela é minha obra-prima,q. amo como ninguém mais no mundo consegue amar, ñ é assim q. as mães amam,de forma única e incondicional?Já estou a sentir aquela saudade surda q. ñ.é de estar com ela,mas saber q ñ poderei estar c/ ela.Obrigada pelo poema a Débora dedicado,p/ este olhar especial q. só aos poetas é permitido.O dia hoje iniciou mais bonito p/ sua causa.

  5. >Edu, muito obrigada. Sua poesia política me fez rir e me emocionou. Beijo.

  6. >Edu, acho que houve falha de transmissão e vou tentar reproduzir a mensagem que havia escrito. Edu, a fumaça se esvai, porém, a Débora apenas se vai, com volta garantida, com certeza, para nossa alegria e deleite (ainda que seja mais apropriado o decerveja). Eu a conheci antes de nascer, vi-a crescer (por dentro e por fora, neste caso, nem tanto), testemunhei o surgimento da sua extra-large curiosidade intelectual e do seu acentuado gosto pelo desconhecido e pelo viver (não é assim que se pode resumir o tesão por viajar?). Admiro-a também por isso, pelas qualidades que v. tão bem destacou e por outras mais, que as há, e que fazem dela uma companhia (companhia que vale) interessante, provocante, muitas vezes doce (a outra, Doce, nem tanto!) e agradável, até mesmo quando está com fome. Estou muito mais próximo dela agora devido ao meu casamento com a Incêndio (lembra?) e me sinto espectador privilegiado do curso de vida de alguém que como ela promete muito e por quem tenho um carinho muito especial. Assim, não surpreende sua trilha atual e a ordem dos fatores não importa: que venha a África, com seus mistérios e desafios, e que venham outras Maputos (de preferência na Europa, que ninguém é de ferro!). Não pense ela que vai se livrar de nós apenas porque vai mudar de oceano. Aguarde-nos com um elefante preparado. Oswaldo Faria

  7. >Fumaça, querida, boa viagem e não esqueça de levar um isopor para sorvete e outro para cerveja, ambos de bom tamanho, pois os elefantes africanos ainda não os têm. Se fossem nacionais…Beijos e lembranças dos novos amigos Zé Sergio e Dôra.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s