>S.E.M.P.R.E. NA CADEG

>


Reuniu-se ontem, com pompa, a Sociedade Edificante Multicultural dos Prazeres e Rituais Etílicos, a S.E.M.P.R.E., no buteco Poleiro do Galeto, na CADEG, em Encontro organizado pelo Flavinho, o Xerife, em homenagem ao grande ser humano que foi – e é, eis que ainda em mim – Fernando Toledo, o “Girassol”, como o chamou o também grande, lato sensu, Fausto Wolff, em artigo comovente no JB por ocasião de sua morte. E eu digo “com pompa” de boca cheia, eis que estava em peso a Confraria: eu, Fefê, Dalton, Vidal, Zé Colméia, Flavinho e Szegeri, na companhia dos convidados Branco e Lara. Vejam que na foto, onde se vê o Branco e o Szegeri, meu Otto full time, o dono de beleza acachapante faz careta na tentativa, vã, de ficar feio.

O Encontrou durou das 21h até 5h30min, quando ainda ficaram por lá Dalton, Flavinho e Branco, que o Branco bebe como um cossaco, e o que é pior, sem dormir dias seguidos. Brindamos à memória do Toledão, que foi saudado quando cantamos “Saindo à Francesa”, “Valsa do Maracanã”, “Três por Acaso”, quando erguemos o copo, dezenas de vezes, ao humor, à graça do convívio e à imortalidade de sua alma que, como eu já disse, permanece dentro daqueles que o amaram em vida.

O Szegeri, vejam vocês, veio de São Paulo exclusivamente para o Encontro. Desembarcou no Galeão às 21h e partiu, de volta, às 5h30min, debaixo de um chôro convulsivo que desabou minutos antes dele se despedir.

E arquitetamos, ali, o Encontro do mês de outubro, que será organizado pelo meu irmão Szegeri, em São Paulo, e quero desde já lhes dizer que a paulicéia há de tremer diante de nossa performance olímpica à mesa.

E pra fechar, percebam como estou cansado e ainda derrubado depois de três dias seguidos de trabalhos etílicos, vejam o que o Branco fez na tentativa, compreensível, de sensibilizar os Confrades, visando sua inscrição no rol da Confraria. Levou uma mala – isso mesmo, uma mala! – de onde saíram garrafas de Quilmes Imperial, uma de Limoncello, latinhas de Stella Artois e uma garrafa de vinho tinto.

O Toledão seguramente ficou orgulhoso. A S.E.M.P.R.E. fez ontem, e graças à escolha do Flavinho, e graças à presença maciça do quadro de Confrades, o melhor e maior Encontro de sua história, já não tão curta.

Até.

Posted by Picasa

9 Comentários

Arquivado em Uncategorized

9 Respostas para “>S.E.M.P.R.E. NA CADEG

  1. >Até fazendo careta ele parece um Deus (suspiros)

  2. >Fizemos justiça ao Toledão, ele não merecia menos. Tive essa certeza vendo o Szegeri chorar – daria inveja em hidrante, tal a quantidade de lágrimas – ao se despedir. A comida estava ótima, ao ponto de alguns confrades se intoxicarem com a farofa, a cerveja gelada, o Sassá (nosso garçom) foi perfeito e o papo estava impagável. Que o encontro da S.E.M.P.R.E. continue a ser o momento mais esperado do mês.

  3. >Pombas, Flavinho, explica direito essa história de momento mais esperado do mês! Será que a Betinha vai entender isso, meu compadre? :>))

  4. >Zé Sérgio, seu biltre: dirijo-me a você não sem antes lhe dizer que sua pessoa foi enxovalhada durante o Encontro para o qual você foi devidamente convidado, recusando a honraria.O que o Flavinho diz só você não entende. Querido, ele mora com ela, no Flamengo, o que é, pra ele, duplo delírio, já que ele tem a Betninha e o bairro, diariamente (e antes, havia o Cachambi).O Encontro, camarada, acontece apenas uma vez por mês. E é de uma delícia impressionante. Razão pela qual, torna-se o momento mais esperado. Pela Betinha e pelo Flamengo ele não precisa mais esperar.Fui claro?

  5. >Querido, obrigado pela pronta defesa, típica de você. Quanto ao comentário do Zé Sérgio, creio que se – note, no condicional – alguma outra vez ele for convidado saberá o motivo de minha expectativa todo o mês. A Betinha e a S.E.M.P.R.E. não podem ser comparadas, pois são complementares na minha felicidade.

  6. >Queridos amigos, desculpem, mas só consigo conciliar o sono depois de uma pequena maldade, uma ação indigna qualquer, uma torpeza de pequeno calibre. Uuuuuaaaa zzzzzzzzzzzzzzzz :>) Boa noite!

  7. >Se a freqüência de nossos encontros fosse de apenas 1 vez a cada 30 dias, não tenho dúvida de que a S.E.M.P.R.E. deixaria de ser “o momento mais esperado do mês”… :-)Beijos a todos e parabéns pelo encontro, o qual, por todos os motivos já citados pelo Edu, foi sem dúvida inesquecível.

  8. >DIREITO DE RESPOSTA GARANTIDO PELOS ESTATUTOS DO BUTECO DO EDU, de acordo com a Lei 6.173, parágrafo 16, inciso 452, alínea 36″Xi, a Betinha maldou! Nem me passou pela cabeça dizer outra coisa a não ser que eu estranhava o Flavinho esperar mais ansiosamente o encontro mensal da SEMPRE do que o sagrado momento de fazer as compras do mês com a Betinha naquele supermercado do Largo do Machado. ;>)”

  9. >Faltou só a explicação da foto. É que eu e o Branco éramos os únicos representantes à mesa da hoje não tão abundante etnia dos bar-bhudos, depois que o Fefê rapou a cara com lixa d´água nº03. Então, resolvemos homenagear o nosso padroeiro e ídolo máximo, o Falcon “olhos de águia” (isso é antigo, Edu…).

Deixe uma resposta para ana carolina Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s